Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Farfetch reforça em Portugal

josé carlos carvalho

Empresa escolhe, agora, Braga. E cria mais 150 postos de trabalho

A Farfetch vai abrir o seu quarto escritório em Portugal. Depois de Guimarães, Porto e Lisboa, o grupo de comércio eletrónico de artigos de luxo fundado por José Neves escolhe, agora, Braga. Será "um pólo de tecnologia" que arranca com 150 postos de trabalho, afirma a empresa em comunicado.

"Estamos a criar um novo espaço que vem dar resposta à nossa estratégia e ao crescimento da equipa em Portugal", afirma Luís Teixeira, diretor-geral da Farfetch em Portugal, justificando a escolha de Braga com o facto de esta ser "uma das cidades mais jovens do país, dinâmica e inovadora". "Reúne as condições certas para receber o novo pólo de tecnologia da Farfetch", conclui.

Já Cipriano Sousa, responsável pela operação tecnológica da Farfetch, explica que "este novo hub permitirá um crescimento das equipas de engenharia e produto, localizadas em vários escritórios em Portugal e no mundo, desde Londres até à China". E também justifica a escolha da cidade: "tem muito potencial do ponto de vista de expertise em diferentes áreas" e "desde perfis mais jovens até perfis mais experientes, a região de Braga é uma forte incubadora de talento, nas áreas de engenharia e ciências", diz.

Com quase 2 mil funcionários em diferentes países, a Farfetch nasceu em 2007, voltada para a indústria do luxo, e liga, atualmente, clientes em mais de 190 países a produtos de 700 das melhores marcas e lojas do mundo.

A empresa assinou, recentemente, uma parceria com o grupo Chalhoub, que opera também no segmento de luxo no Médio Oriente, e, já este mês, viu a Chanel assumir uma participação minoritária no seu capital, mas não divulgou o valor do negócio.

A imprensa internacional tem referido a possível entrada na bolsa de Nova Iorque, ainda este ano, da empresa liderada por José Neves, já com estatuto de "unicórnio", atribuído a empresas avaliadas em mais de mil milhões de dólares.