Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bitcoin. Acima de zero é caro, diz Roubini

Foto Dan Kitwood/Getty Images

Economista Nouriel Roubini diz que a cotação da Bitcoin vai cair até zero. Este ano perdeu metade do valor

Acima de zero é caro. É assim que o economista Nouriel Roubini vê a cotação da bitcoin. O preço "vai cair para zero", escreve Roubini no Twitter esta terça, no dia em que a criptomoeda recua mais 13%.

Desde o início de 2018, perdeu mais de metade do valor, cotando esta terça-feira ligeiramente acima dos 6000 dólares (4825 euros).

Roubini antecipa que alguns investidores "usarão uma tática de manipulação de mercado para sustentar a cotação da bitcoin" mas que tal não impedirá a aterragem violenta da cotação.

O economista alertara na semana passada para o fenómeno das criptomoedas. Segundo ele, a bitcoin era a "maior bolha na história humana".

Depois, o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, reconheceria que a bitcoin e outras criptomoedas são "ativos muito arriscados", que devem ser mantidos com prudência, nomeadamente por bancos. "As moedas virtuais estão sujeitas a grande volatilidade. O seu preço é completamente especulativo", declarou Draghi, no Parlamento Europeu.

Se 2017 surpreendera como o ano do boom da criptografia, este ano a bolha ameaça rebentar.

A bitcoin, a moeda antecipada há 20 anos por Milton Friedman mas em que muito poucos acreditavam, gerou euforia e expectativas excessivas. Mas, em dois meses acumula perdas de 65%, depois do pico dos 20 mil dólares (16 mil euros) em dezembro.

A severa correção da moeda virtual decorre, verificam os analistas, da perda de confiança dos investidores e da política regulatória mais dura pelas autoridades e pela banca. A 26 de janeiro, a Coincheck, uma plataforma de negociação japonesa, perdeu o equivalente a 530 milhões de dólares (426 milhões de euros) após um ataque informático a uma das suas criptomoedas.