Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Ikea: móveis, heranças e dívidas

Ingvar Kamprad, fundador do Ikea, morreu cerca de um mês depois da abertura de uma investigação por fuga ao fisco, que pode deixar os herdeiros com dívidas fiscais relativas a €3 mil milhões

FABRICE COFFRINI / AFP / Getty Images

A história familiar e a herança de Ingvar Kamprad, fundador do Ikea, são bem mais complexas e dispendiosas do que os móveis e artigos para a casa, com design simples e preços baixos, que a marca sueca popularizou por todo o mundo, com 412 lojas em 49 países.
Em meados de dezembro, a União Europeia anunciou a abertura de um inquérito na sequência de indícios de que a empresa sueca estaria a poupar €1000 milhões em impostos não pagos, através de uma subsidiária holandesa. Na semana passada, Jesper Brodin, CEO do Ikea Group, garantiu que a empresa que dirige pagou 25% de imposto sobre os rendimentos, em 2017, o que considera uma percentagem justa.
De acordo com o jornal sueco Expressen, o Ikea pode vir a ter de pagar impostos relativos a €3 mil milhões que foram transferidos das lojas Ikea para a empresa Inter Ikea, na Holanda, que depois foram transferidos para várias fundações no Luxemburgo e no Liechtenstein, para fugir aos impostos ou pagar menos.

No passado, primeiro em 2011 e depois em 2016, o Ikea já tinha passado por outras polémicas, mas relacionadas com a diminuição da fortuna de Ingvar Kamprad, viúvo desde 2011. Além da procura por um planeamento fiscal mais favorável, Ingvar Kamprad começou a tratar da transferência de património para os herdeiros em vida e na sequência da morte da segunda mulher, Margreth Vestager, em 2011. Neste ano, o património líquido declarado do fundador do Ikea reduziu drasticamente quando foi revelado que a propriedade do negócio do Ikea tinha sido transferida para uma fundação no Lichtenstein, décadas antes.

Em 2016, o empresário abdicou novamente de alguns ativos, transferindo-os para os três filhos biológicos: Peter, Jonas e Mathias. Fora desta transação, bem como de qualquer cargo no Ikea e do acesso a alguma herança, está a filha adotiva Annika Kihlblom (a adoção foi feita no primeiro casamento, com Kerstin Wadling), na sequência de um acordo financeiro assinado com o pai adotivo, de acordo com o Expressen.

Os dados da Forbes relativos ao ano fiscal de 2017 dão conta de receitas de 46 mil milhões de dólares (€37 mil milhões), enquanto no período entre 2005 e 2010 a revista norte-americana contabilizava uma fortuna avaliada em mais 28 mil milhões de dólares (€22,6 mil milhões), baseada maioritariamente no valor do Ikea.

A fortuna dos três irmãos, por seu lado, está avaliada em 1,21 mil milhões de dólares, cerca de mil milhões de euros, e faz parte de uma complexa estrutura de propriedade do negócio do Ikea, que torna difícil saber quem detém o quê e quanto isso vale, por se tratarem de fundos fiduciários off-shore, que permitem ocultar o proprietário dos ativos. Na prática, o que isto significa é que as contas que se possam fazer ao valor da herança que está em causa na sequência do falecimento de Ingvar Kamprad estarão subdimensionadas.

O universo Ikea passa por quase uma dezena de empresas, estando uma fundação no topo, o que dificulta seguir o fio à meada dos resultados financeiros e pagamento de impostos de cada uma delas. O facto de estarem sedeadas entre a Holanda, Luxemburgo e Liechtenstein, países com condições fiscais vantajosas, também não ajuda. Fundações são, pelo menos, duas: a Ikea Foudantion (que se dedica a apoiar crianças em comunidades pobres) e a Stichting Ingka Foudation (que detém o Ikea Group desde 1982). O negócio divide-se não só entre as empresas que detêm as lojas em cada um dos países, como as que fazem a aquisição dos móveis e artigos para a casa, o armazenamento e a distribuição.

A Ingka Holding B.V., que tem sede na Holanda (como a fundação que tem uma denominação semelhante) é a empresa-mãe para todas as empresas Ikea e tem no conselho de supervisão Mathias Kamprad, o mais novo e único dos filhos de Ingvar Kamprad que ainda tem assento na admnistração do Ikea.

Os três irmãos, no entanto, fazem parte do Ikano Group, que foi criado para gerir o imobiliário do Ikea, bem como o negócio de seguros e serviços financeiros que se autonomizou em 1988. De acordo com a Forbes, o Ikano Group vale 7,3 mil milhões de dólares (€6 mil milhões) em vendas anuais e, além do imobiliário, detém interesses em bancos e centros comerciais. A presidência desta empresa é ocupada por Peter Kamprad, o mais velho dos irmãos, enquanto o 'benjamim' Mathias é membro do conselho de administração. O irmão do meio, Jonas Kamprad, integra a Stichting Foudation e o Ikano Group.