Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas. Lisboa sobe 4% desde início do ano, mas não está entre as mais eufóricas

O índice PSI 20 da bolsa portuguesa subiu 0,14% durante a semana e regista uma valorização de 4,4% desde início do novo ano. Na zona euro, Viena, Milão e Atenas são as três bolsas com subidas acima de 6% desde final de 2017

Jorge Nascimento Rodrigues

A bolsa de Lisboa, apesar de bom desempenho, não está no ‘clube’ dos 13 mercados que, no mundo, já valorizaram mais de 6% desde início do ano.

O índice PSI 20 português já ganhou 4,4% desde o final de 2017, mas está distante dos avanços de 8,2% para a bolsa de Viena, 6,8% para Milão e 6,1% para Atenas, as três que mais sobem na zona euro, segundo os índices MSCI respetivos.

O índice mundial de bolsas já subiu 3,9% este ano, destacando-se os mercados fronteira (economias que ainda não foram graduadas para emergentes), com um avanço de 4,9%, e as bolsas da zona euro, com um ganho de 4,7%, segundo os índices MSCI respetivos. De referir que Atenas não se integra no índice para a zona euro dado a Grécia ter sido desgraduada para mercado emergente.

Especulação global sincronizada

À escala mundial, são 13 as bolsas com ganhos acima de 6% desde início do ano, segundo os índices MSCI. Lagos, na Nigéria, destaca-se na liderança, com uma subida de 12,7%. Seguem-se Carachi no Paquistão (9,5%), Bucareste na Roménia (9,3%), Moscovo na Rússia (9,2%), Buenos Aires na Argentina (8,8%), Viena de Áustria (8,2%), São Paulo no Brasil (7%), Milão em Itália (6,8%), Hanói no Vietname (6,7%), Lima no Peru (6,6%), Doha no Catar (6,4%), Atenas na Grécia (6,1%) e Astana, no Cazaquistão (6,1%).

Nas 13 bolsas mais eufóricas, cinco são europeias (com três na área da moeda única), três situam-se na América Latina, outras três na Ásia, uma em África e outra no Médio Oriente.

"É uma especulação global sincronizada como nunca vi", diz este sábado o analista financeiro Doug Noland, na sua nota diária do Credit Bubble Bulletim. "Evoluiu para uma bolha especulativa de pleno direito, para uma mania intensa. Este tipo de euforia, ainda que divertido e cativante, acaba sempre com consequências infelizes. Por ora, não há preocupações. (...) A especulação separou-se da realidade", acrescenta.

Ganho modesto de Lisboa durante a semana

Lisboa fechou a semana com um ganho acumulado modesto de 0,14% do índice PSI 20 face a subidas acumuladas de 2,9% para o índice MIB em Milão e de 2,6% para o índice geral em Atenas. O índice para a zona euro avançou 1,3% em termos semanais.

À escala mundial, as bolsas valorizaram esta semana 1,2%, segundo o índice MSCI global, e os mercados ficaram marcados por novos máximos históricos nas duas principais bolsas do mundo em Nova Iorque, nos índices Dow Jones 30 e Standard & Poor’s do New York Stock Exchange (vulgo Wall Street) e no índice geral do Nasdaq (da bolsa das tecnológicas).

As maiores valorizações semanais registaram-se para o grupo dos mercados de fronteira, cujo índice subiu 2,6%, e para os Estados Unidos, com o índice das duas bolsas nova-iorquinas a avançar 1,6%, com destaque para o Dow Jones 30 que ganhou 2%.

O índice que mais subiu no mundo durante a semana foi o de Lagos, com um avanço de 10,2%. A seguir, a alguma distância, ficaram Hanói, Cairo, Moscovo, Luxemburgo, Milão e Atenas, por ordem decrescente com valorizações entre 3,7% e 2,6%.

  • O rácio criado pelo Prémio Nobel Robert Shiller para ‘medir’ o nível de ‘bolha’ na bolsa de Nova Iorque subiu para 33,19 em janeiro, segundo a atualização feita esta semana. Desde maio de 2001 que não era tão elevado. Wall Street tem registado máximos históricos nos três principais índices bolsistas