Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Anacom mais que duplica indicadores de qualidade a impor aos CTT

Marcos Borga

CTT vão ser obrigados a cumprir 24 indicadores de qualidade. Aperta-se também as exigências no cumprimento de prazos

A Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) divulgou os 24 novos indicadores de serviço que os CTT terão de cumprir a partir de 1 de julho - até agora eram onze. O objetivo é garantir um “maior nível de qualidade do serviço postal universal” através de “metas mais exigentes”, diz o regulador.

Os novos indicadores de qualidade dos CTT são apresentados na véspera da ida do presidente da Anacom, João Cadete de Matos, à Assembleia da República para responder às questões dos deputados precisamente sobre esta matéria e a concessão de serviço público.

A Anacom avança que os CTT, além de estarem obrigados ao cumprimento de um conjunto de 24 indicadores de qualidade, foram-lhes “fixadas metas mais exigentes”. Eis um exemplo: "Com as novas metas estabelecidas, 99,9% do tráfego tem de ser entregue no prazo máximo de 3 dias (correio azul); 4 dias (correio azul nas Regiões Autónomas) e 5 dias (correio normal)".

Além "de um padrão de qualidade de cada serviço em termos da respetiva velocidade de entrega, foi estabelecido uma meta de fiabilidade que deverá ser cumprida em 99,9% dos casos, com a qual se pretende evitar que o tráfego remanescente seja entregue muito além do padrão definido”, diz o regulador em comunicado.

Passa também a ser obrigatório o cumprimento do valor do objetivo fixado para cada indicador, enquanto anteriormente se considerava um limiar abaixo do qual era aplicada uma penalização.