Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Esta empresa nasceu para ensinar a fracassar

Para Pedro Colaço, um dos mentores da FailProof, a forma como se encara o fracasso está a mudar

João Carlos Santos

A FailProof Academy ajuda os empreendedores a recuperar do insucesso empresarial

Catia Mateus

Catia Mateus

Jornalista

Por cada Zuckerberg bem-sucedido que há no mundo, há pelo menos três empresários que fracassaram na sua missão. Em Portugal, 58% das empresas fecham antes dos cinco anos de atividade, segundo as contas da consultora Informa D&B, no estudo “O Empreendedorismo em Portugal”, realizado este ano e 70% dos empreendedores portugueses apontam o medo de falhar como um obstáculo à iniciativa empresarial, alerta a consultora Amway. O insucesso não tem de ser fatal, mas não aprender com ele pode ser. Foi para combater esta realidade que Sofia Ferreira Simões e Pedro Colaço criaram a FailProof Business Academy, um projeto de mentoria e formação especializada em gestão do fracasso.

Desde que foi criada, em 2015, a academia tem apoiado centenas de empreendedores em iniciativas que vão do diagnóstico de risco empresarial à partilha de experiências entre empreendedores que fracassaram (e sobreviveram a isso), no evento Fuckup Nights Lisbon. Foi o fracasso que uniu os dois mentores da FailProof Academy. Sofia tinha passado por uma sucessão de falhanços empresariais. Pedro tinha acabado de enfrentar um fracasso profissional, o despedimento. Ambos decidiram abordar o problema pelo seu lado positivo e colocar a sua experiência ao serviço de outros.

A primeira iniciativa da FailProof, promovida por Sofia Simões, foi trazer para Portugal o Fuckup Nights, um evento internacional onde empreendedores falam sobre as suas histórias de fracasso. “Na maior parte dos casos são relatos que provam que os empreendedores tiveram no seu caminho várias oportunidades para desistir e momentos em que viram a sua resiliência ser posta em causa, mas não cederam à tentação de desistir”, explica Pedro Colaço. Na prática, trata-se de propagar entre os empreendedores portugueses, ainda muito estigmatizados pelo risco de falhar, a pedagogia do insucesso, demonstrando que “as vitórias fáceis não existem nem nos livros”.

O segredo é a atitude

A FailProof nasce sustentada no propósito de “fundir aptidões e atitude num todo que ajude os empreendedores a criar negócios sustentáveis e contornar o fracasso”, explica. Os mentores reconhecem a importância e impacto das aptidões técnicas e académicas no desenvolvimento e sucesso empresarial, mas acrescentam que há vários fatores de risco (ver caixa) e que “o segredo para o sucesso está na atitude que adotamos perante ou apesar das circunstâncias”.

É exatamente no campo da atitude que acontece a maior parte da intervenção da equipa. Depois de realizarem um levantamento junto de empresas nacionais sobre os principais fatores que conduzem ao insucesso empresarial, Sofia e Pedro estruturaram um conjunto de iniciativas de apoio aos empreendedores. Além das Fuckup Nights — que terão nova edição já em janeiro e fevereiro — a FailProof ensina os portugueses a contornar o fracasso através da realização de programas de curta ou média duração de ativação e prevenção do insucesso, com acompanhamento da aplicação prática dos conceitos e de um seminário de sensibilização onde são abordadas algumas das 36 causas de fracasso identificadas pela equipa. Em paralelo, a equipa apoia também os empresários na análise de risco das suas organizações, “através de uma ferramenta de reflexão e diagnóstico que permite a deteção de fragilidades, determinação do nível de risco e posterior minimização”, explica Pedro Colaço reconhecendo que “há ainda um longo caminho a percorrer e muito trabalho a desenvolver até que o fracasso seja encarado de forma natural, como uma etapa do caminho”.