Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Turistas gastaram em média €95,7 por dia em Portugal em 2016

Turistas do Brasil e dos Estados Unidos lideraram, com um gasto médio diário de €166,3 e €146,1, respetivamente, contrastando com a Suiça (€78,4) e a França (€64,2)

Os turistas que visitaram Portugal gastaram, em média, 95,7 euros por dia durante a sua estadia, de acordo com o último Inquérito ao Turismo Internacional do Instituto Nacional de Estatística (INE).

No mesmo documento concluiu-se ainda que as dormidas dos não-residentes atingiram 144,4 milhões em 2016, sendo que o destaque vai para o alojamento privado gratuito (casa de família ou amigos) e as residências secundárias, com um peso de 49,4%.

Segundo o INE, no topo da lista das nacionalidades que mais receitas deixaram em Portugal estiveram mercados como o Brasil e o Estados Unidos, com um gasto médio diário por turista de €166,3 e €146,1, respetivamente, contrastando com a Suiça (€78,4) e a França (€64,2), países com elevada incidência de entradas de turistas com ascendência portuguesa. Ao nível das despesas dos turistas no país, destacam-se ainda mercados como a Irlanda (€115), países nórdicos (€111,9), Itália (€108,5) e Reino Unido (€107,2).

Em 2016, os turistas não residentes que entraram em Portugal gastaram cerca de €15,3 mil milhões em despesas relacionadas com a viagem, segundo o INE. A maior fatia foi gasta com os transportes internacionais (23,3%), seguindo-se as despesas em restaurantes, bares e discotecas (18,2%), os pacotes turísticos (17,8%) e, por fim, o alojamento (17,3%).

As entradas de turistas em Portugal atingiram os 28,3 milhões em 2016, número que abrange os 10,1 milhões de excursionistas (visitantes sem dormida) e os que permanecem em território português por, pelo menos, uma noite (18,2 milhões). Espanha lidera o total de entradas de turistas no país com um peso de 25,6%, seguida do Reino Unido (17,2%) e França (14,7%). Verificou-se também que os principais motivos que trouxeram turistas a Portugal foram o lazer (70,3%) e a visita a familiares (19,9%).