Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

BCE reduziu ligeiramente nível de compra de dívida portuguesa em novembro

O banco central adquiriu €488 milhões em títulos portugueses no mês que findou ao abrigo do programa de compra de dívida pública no mercado secundário. Menos um milhão que no mês anterior. O stock de dívida portuguesa comprada desde 2015 existente na carteira do BCE subiu para €30,5 mil milhões no final de novembro

Jorge Nascimento Rodrigues

O Banco Central Europeu (BCE) adquiriu em novembro €488 milhões em Obrigações do Tesouro português, ao abrigo do programa de compra de dívida pública no mercado secundário, em vigor desde 2015, segundo dados divulgados pelo banco central. O montante adquirido é ligeiramente inferior ao do mês anterior, tendo ficado abaixo apenas um milhão de euros.

O stock de títulos portugueses adquiridos desde 2015 na carteira do BCE subiu, assim, em final de novembro, para €30,5 mil milhões, um valor já superior ao de cada uma das três componentes do empréstimo de resgate a Portugal em 2011 (€26,3 mil milhões por parte do Fundo Monetário Internacional, €26 mil milhões do Fundo Europeu de Estabilização Financeira e €24,1 mil milhões do Mecanismo Europeu).

O banco central desde agosto que reduziu o seu volume mensal de compras de dívida portuguesa para um valor abaixo de €500 milhões. A percentagem de aquisição de obrigações portuguesas no conjunto do volume mensal de compras tem-se mantido ligeiramente abaixo de 1%, claramente inferior à regra de capital que aponta para 1,74%.

O BCE tinha em carteira, em final de novembro, cerca de €1,9 biliões em obrigações dos membros da zona euro e entidades plurinacionais. O stock de títulos portugueses representa 1,6% desse total.

Outra das componentes da atuação do programa é o reinvestimento pelo BCE do capital obtido nas amortizações pagas pelos emissores dos títulos nos prazos de vencimento. O banco central passou a divulgar essa lista relativa aos movimentos nos próximos 12 meses. De novembro de 2017 a novembro de 2018, o BCE vai receber e reinvestir €131,7 mil milhões, cerca de 7% do stock atual. Um título português vence em junho de 2018.

Portugal foi o segundo maior beneficiário em termos de redução do custo de financiamento da dívida pública a 10 anos por efeito do programa de compra do BCE, aponta esta semana um estudo da Moody’s. Em “Monetary policy – Europe: Impact of ECB’s asset purchases felt most on peripheral bond yields“, a agência de notação fez as contas desde o lançamento do programa em 2015 e refere que a Irlanda liderou os ganhos, com uma redução de 150 pontos base (o equivalente a 1,5 pontos percentuais), seguida de Portugal, com 140 pontos base, da Itália, com 85 pontos base, e de Espanha, com 75 pontos base.