Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

41 empresas dos Açores assinam metas de turismo sustentável para 2018

A cartilha assinada esta quarta-feira pela indústria turística e o Governo regional é um passo para os Açores poderem obter a certificação mundial como destino turístico sustentável em 2019

41 empresas açorianas assinaram esta quarta-feira uma cartilha de turismo sustentável com o Governo regional do arquipélago. Comprometem-se a avançar com um conjunto de ações em 2018, passíveis de serem medidas, com vista a obter resultados mais sustentáveis a nível ambiental ou social.

A culminar a conferência "Açores 2017 - Rumo ao Turismo Sustentável" que termina hoje, 6 de dezembro, em Ponta Delgada, a assinatura desta cartilha de turismo sustentável conta com a participação em peso da indústria do sector na região, desde a SATA na área de transporte aéreo a grupos hoteleiros como Bensaúde ou Azoris, além de um vasto conjunto de unidades hoteleiras de menor escala ou empresas de animação turística.

As metas obtidas pelas empresas turísticas da região no âmbito do compromisso agora celebrado vão ser quantificadas e tidas em conta no processo que representa uma das principais apostas de momento dos Açores: obter em 2019 a certificação como destino mundial de turismo sustentável segundo os critérios da Global Sustainable Tourism Council (GSTC).

Conseguir a certificação do Conselho Global de Turismo Sustentável envolve o desafio de conciliar a atual tendência de crescimento turístico com os exigentes critérios internacionais de turismo sustentável desta entidade, cuja tónica está em preservar para o futuro caráter genuíno e a paisagem natural dos locais evitando a sua massificação. Os Açores estão em 2017 a liderar o crescimento turístico em Portugal, até ao final do terceiro trimestre o aumento de dormidas na região atingiu 17%, a taxa mais alta do país, e com perspetivas de continuar a subir em 2018 e nos próximos anos.

"Vamos fechar o ano com 2,2 milhões a 2,3 milhões de dormidas, e em 2016 tivemos 2 milhões. Mas mais que o crescimento em quantidade, a nossa aposta é crescer ao nível do valor que o turismo pode trazer à região", frisa Marta Guerreiro, secretária regional do Turismo e do Ambiente dos Açores.

"Temos consciência da sorte em termos recebido todo este legado patrimonial e natural que são os Açores, e a nossa responsabilidade é de o preservar", salienta Marta Guerreiro. "Temos uma certeza: não somos nem queremos ser um destino de massas".

Segundo Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo, a certificação dos Açores como destino mundial de turismo sustentável irá dar "uma excelente projeção à região e também ao destino Portugal como um todo".