Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Inflação sobe em novembro para 1,5% na zona euro

A inflação subiu ligeiramente em novembro na zona euro regressando aos níveis de agosto e setembro, depois de um recuo para 1,4% em outubro, segundo a primeira estimativa divulgada esta quinta-feira pelo Eurostat

Jorge Nascimento Rodrigues

A inflação anual na zona euro deverá ter subido em novembro para 1,5%, segundo a primeira estimativa divulgada esta quinta-feira pelo Eurostat, o Gabinete de Estatísticas da União Europeia. Significa uma ligeira aceleração na taxa de inflação em relação a outubro, quando baixou para 1,4%, mas ficou aquém das previsões dos analistas que apontavam para 1,6%. A subida foi devida sobretudo a um aumento mais elevado nos preços da energia do que no mês anterior.

A trajetória da inflação no espaço da moeda única em 2017 tem sido muito irregular, tendo atingido um pico de 2% em fevereiro e um mínimo de 1,3% em junho e julho.

Contudo, a nível da inflação subjacente - excluindo as componentes mais voláteis da energia, alimentação, tabaco e álcool -, a taxa manteve-se em novembro em 0,9%, sem alteração em relação a outubro. Esta taxa registou uma trajetória descendente de 1,2% em agosto para 1,1% no mês seguinte e 0,9% em outubro e novembro. As previsões dos analistas apontavam para uma ligeira subida para 1%.

O nível de inflação na zona euro continua abaixo da meta de 2% da política monetária do Banco Central Europeu, justificando o prosseguimento das medidas de estímulos, nomeadamente do programa de compra de ativos.

Entretanto, foram divulgadas as estimativas preliminares para a inflação em novembro nas quatro grandes economias da zona euro. A Alemanha está à frente, com a inflação a subir de 1,5% em outubro para 1,8% em novembro, o nível mais elevado nas quatro. Em França a inflação subiu de 1,2% para 1,3% no mesmo período, mas em Espanha e em Itália manteve-se sem alteração, em 1,7% e 1,1% respetivamente.