Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Banqueiros recordam Belmiro de Azevedo como empresário "ímpar"

O presidente do Santander Totta, António Vieira Monteiro, diz que se perdeu "um homem com convicções fortes" e Nuno Amado, presidente do BCP, recorda a "frontalidade e independência reconhecida por todos"

Os presidentes do Santander Totta e do BCP deixam um testemunho sobre a morte do homem que dizem ter conquistado uma capacidade de liderança indiscutível e inspiradora.

António Vieira Monteiro afirma que o fundador da Sonae foi um "homem de convicções fortes. Belmiro de Azevedo soube sempre defendê-las com muita coragem e determinação, mesmo que elas não fossem dominantes na opinião pública".

Nuno Amado sublinha, por seu turno, que Belmiro de Azevedo "foi um empresário ímpar, com visão, determinação e com frontalidade e independência reconhecida por todos. Ao criar o Ecossistema Sonae, permitiu que do grupo saíssem um conjunto de empresários de referência e com sucesso, situação realmente única e inspiradora no nosso país".

No testemunho ao Expresso, Vieira Monteiro prossegue afirmando que Belmiro de Azevedo é o "exemplo de um grande português e de alguém que ajudou a criar valor e a projetar o país. Conquistou com a sua indiscutível capacidade de liderança e com o seu grande talento de gestor uma posição ímpar nos meios empresariais, tendo construído um dos mais destacados grupos económicos portugueses, e seguramente aquele que mais postos de trabalho conseguiu gerar".