Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Produção industrial aumenta em 2016 mas há sete atividades em queda

O sector alimentar, que inclui a conservação de produtos de pesca, foi o que mais contribuiu para o crescimento da produção industrial em 2016

António Bernardo

Em 2016 foram transacionados menos 700 milhões de euros em venda de produtos derivados do petróleo do que no ano anterior. Já o sector alimentar vem equilibrar a balança da indústria transformadora, contribuindo com um aumento de 10 mil milhões de euros em vendas entre estes dois momentos

As indústrias alimentares e a fabricação de máquinas foram as atividades que mais contribuíram para o crescimento da indústria transformadora, que em 2016 atingiu os 78,3 mil milhões de euros – mais 1,3% face ao período homólogo de 2015. Ainda assim, sete das 26 atividades consideradas – “divisões 10 a 33, 35 e 38 da CAE Rev.3” – registaram um valor total de venda de produtos e prestação de serviços menor em 2016 do que no ano anterior, de acordo com as “Estatísticas da Produção Industrial 2016” divulgadas esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Em 2016 foram transacionados menos 700 milhões de euros em venda de produtos derivados do petróleo do que no ano anterior, o que faz da fabricação de produtos petrolíferos refinados a atividade que contribuiu de forma mais negativa para a evolução total desta indústria.

A fabricação de produtos químicos e de fibras sintéticas ou artificiais – que representa cerca de 5% do valor total da indústria – é outra das sete atividades que apresenta variações negativas entre 2015 e 2016, travando um crescimento maior da produção industrial. A evolução de mais de 250% da prestação de serviços desta atividade, que se traduz em cerca de 60 milhões de euros, não foi suficiente para colmatar a queda de 300 milhões de euros na venda de produtos químicos e de fibras sintéticos ou artificiais.

No outro lado da balança está a indústria alimentar, o sector que maior peso tem no valor total da produção industrial – cerca de 14%. Esta atividade foi a que mais contribuiu para o crescimento global desta indústria, registando em 2016 mais 10 mil milhões de euros em vendas de produtos alimentares do que no período homólogo.

A evolução positiva da indústria transformadora em 2016 também se deve ao crescimento da fabricação de máquinas, bem como da fabricação de equipamentos informáticos e produtos eletrónicos. O aumento das vendas e serviços prestados nestes dois sectores somou mais 600 milhões de euros em 2016 do que no ano anterior.

Embora a fabricação de outros equipamentos de transporte seja o sector que apresenta maior crescimento entre este dois anos – cerca de 23% –, representa menos de 1% do valor total da venda de produtos e prestação de serviços desta indústria.

A fabricação de veículos e componentes, a atividade relativa à eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio, a impressão e reprodução de suportes gravados, a indústria do tabaco, bem como a recolha, tratamento e eliminação de resíduos são as outras cinco actividades que registam variações negativas entre 2015 e 2016.