Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Como se está a escrever o guião do turismo na Madeira

Nicolau Santos, Patrícia Dantas Caires, Bruno Freitas, Paulo Cafôfo, Ricardo Garcês e José Cardoso no Expresso do Meia-Dia que discutiu "Os desafios do turismo na Madeira" com o Teatro Muncipal do Funchal como pano de fundo

Gregório Cunha

Os desafios do sector na região autónoma e o que reserva o futuro foram o ponto central do Expresso do Meio-Dia que teve lugar no Teatro Municipal do Funchal

Um destino do presente a perceber como olhar para o futuro. Foi o retrato da Madeira que ficou de um debate animado em pleno Funchal para discutir como o turismo pode continuar a florescer num local onde tem história como poucos.

Com moderação do diretor adjunto do Expresso, Nicolau Santos, o Teatro Municipal da capital da região autónoma foi o palco do Expresso do Meio-Dia que desta feita se subordinou ao tema "Os desafios do turismo na Madeira." Perante uma plateia repleta, algumas das principais figuras do sector reuniram-se para deixar a sua visão na sequência da semana de ideação que, ao longo desta semana, acelerou novas empresas ligadas ao turismo com apoio da Startup Madeira e Fábrica de Startups.

Se a "história da região se confunde muitas vezes com o turismo", o presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, defende é impossível um local "ser de excelência" para quem o visita, se não for "para quem lá vive." Uma questão central na abordagem turística, como reconheceu Patrícia Dantas Caires, diretora regional adjunta para a Economia, ao realçar a necessidade de evitar a "sobrecarga de pessoas sobre os recursos."

Pressão que se sente, por exemplo no aeroporto, cujas limitações para a mobilidade de turistas foram trazidas a conversa pelo secretário do conselho fiscal da ACIF (Câmara de Comércio e Indústria da Madeira), José Cardoso, que considera serem um dos "grandes desafios para o futuro." Outro passa por manter mais jovens nas ilhas, com o CEO dos Savoy Hotels & Resorts, Bruno Freitas, a garantir que é preciso "mão de obra especializada em diversas áreas." O empreendedorismo pode ser essencial nesse caminho e Ricardo Garcês, diretor de desenvolvimento da ACIN, não tem dúvidas que a Madeira pode servir "como tubo de ensaio" para novas startups que contribuam para o sector.