Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Aeroporto de Lisboa comemora 75 anos e ainda está a crescer

Captura de ecrã

Na altura em que celebra o 75.º aniversário, o aeroporto Humberto Delgado ultrapassou a sua capacidade instalada. Confrontado com perspetivas de fortes restrições ao crescimento em 2018 e 2019, precisa com urgência do apoio da pista do Montijo

O aeroporto de Lisboa, na Portela, batizado com o nome do General Humberto Delgado, comemora os 75 anos de atividade numa altura em que o tráfego registado nos 12 meses terminados a 30 de setembro atingiu os 25,76 milhões de passageiros, mais 19,8% que nos 12 meses anteriores, de acordo com dados da Vinci Airports, detentora da concessionária dos aeroportos portugueses ANA.

Este tráfego de passageiros excede a capacidade instalada natural do aeroporto, segundo a informação técnica relativa a esta infraestrutura, que aponta para um intervalo máximo desejável entre 22 e 23 milhões de passageiros. Acima deste nível, a infraestrutura fica saturada.

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, o presidente da Vinci Airports, Nicolas Notebaert, e o presidente da Comissão Executiva da ANA, Carlos Lacerda, comemoram a efeméride esta manhã, às 11h30, na zona das chegadas da Portela.

Mas várias fontes do sector aeroportuário consideram inevitável que o aeroporto Humberto Delgado sofra o constrangimento imposto pelas suas limitações ao crescimento do número de voos operados. Nos 12 meses que terminaram a 30 de setembro, o aeroporto de Lisboa registou 193.699 movimentos de aviões, mais 11,5% do que em igual período anterior, segundo dados da Vinci Airports.

O Humberto Delgado precisa, com urgência, de ter em funcionamento complementar a pista da base aérea do Montijo para receber voos civis. Para isso, também precisa de contar com um novo sistema de tráfego aéreo para que a NAV - Navegação Aérea possa gerir o acréscimo de tráfego que será canalizado para a futura pista do Montijo.

Fontes da NAV explicaram ao Expresso que o atual sistema de controlo de tráfego aéreo não acomoda aumentos de movimentos de aviões, tendo atingido a saturação a nível nacional, pois regista todos os dias, no espaço aéreo português mais de 1700 voos que cruzam o céu nacional. Este sistema está obsoleto, não pode ser aumentado e em 2017 já registou quatro falhas técnicas, que foram reportadas ao Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, segundo informações da NAV.

Os responsáveis das companhias aéreas tal como os controladores aéreos da NAV alteraram para o facto de não ser possível operar a pista do Montijo em complemento com o tráfego do Aeroporto Humberto Delgado até a NAV ter um novo sistema de controlo de tráfego aéreo operacional e isso demorará, pelo menos, cerca de dois anos e meio para ter um novo sistema operacional testado, referem as fontes da NAV.

Neste sentido, a nova pista do aeroporto do Montijo nunca poderá ser utilizada para voos comerciais antes do verão de 2020, o que constituirá um "forte travão" ao crescimento do aeroporto Humberto Delgado, segundo as mesmas fontes. Sem as atuais limitações ao crescimento do tráfego, a Portela teria possibilidade de crescer para 35 milhões de passageiros até 2020, segundo previsões do sector.

  • Sistema de controlo de trafego aéreo já falhou quatro vezes em 2017

    Este ano, os controladores de tráfego aéreo em Portugal já foram confrontados com quatro falhas no sistema de controlo, que duraram cerca de dois minutos cada, durante as quais deixaram de ter informações sobre a designação que identifica os aviões que cruzam o espaço aéreo nacional