Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Desemprego ‘real’ em queda mas ainda atinge 869,9 mil pessoas

A taxa de subutilização do trabalho no terceiro trimestre ficou nos 15,8%, o que compara com 16,6% nos três meses anteriores e com 18,8% no terceiro trimestre de 2016

A taxa de desemprego e da população desempregada contabilizadas pelo Instituto Nacional de Estatistica (INE) está em forte queda, mas o desemprego 'real' ainda está em patamares muito elevados e bem acima do 'oficial'. Contudo, também regista uma tendência de forte descida.

O indicador de subutilização do trabalho divulgado pelo INE, que acaba por medir esse desemprego 'real', aponta para 869,9 mil pessoas abrangidas no terceiro trimestre, a que corresponde uma taxa de subutilização do trabalho de 15,8%.

São valores bem acima do desemprego 'oficial' medido pelo INE, que aponta para 444 mil pessoas desempregadas e uma taxa de desemprego de 8,5%.

Contudo, são números em queda face aos trimestres anteriores. No segundo trimestre deste ano, o INE calcula que a subutilização do trabalho abrangeu 903,3 mil pessoas, a que correspondia uma taxa de subutilização do trabalho de 16,6%. Já no terceiro trimestre de 2016 (período homólogo), os valores eram de 1,0318 milhões de pessoas e de 18,8%, respetivamente.

O conceito de subutilização do trabalho junta aos desempregados apurados no inquérito ao emprego (a população desempregada 'oficial' medida pelo INE) ,o subemprego de trabalhadores a tempo parcial (trabalhadores a tempo parcial que gostariam de trabalhar mais horas), os inativos à procura de emprego mas não imediatamente disponíveis para trabalhar (e que por isso não aparecem no número de desempregados medidos pelo INE) e os inativos disponíveis para trabalhar mas que não procuram ativamente emprego (os chamados “desencorajados”, que também não aparecem nas estatísticas do desemprego medido pelo INE).

  • No terceiro trimestre, a taxa de desemprego em Portugal foi de 8,5%, divulgou esta manhã o Instituto Nacionald e Estatística. Este valor é inferior em 0,3 pontos percentuais ao do trimestre anterior e em 2 pontos percentuais ao do trimestre homólogo de 2016