Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Volume de negócios na indústria acelera para 11,3% em agosto

LUCILIA MONTEIRO

O emprego, remunerações e horas trabalhadas na indústria aumentaram também de forma mais intensa

O índice de volume de negócios na indústria acelerou em agosto para uma variação homóloga de 11,3% (5,6% em julho), enquanto o emprego, remunerações e horas trabalhadas aumentaram também de forma mais intensa, divulgou esta terça-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo INE, os índices do emprego, das remunerações e das horas trabalhadas apresentaram variações homólogas de 3,4%, 5,1% e 4,8% em agosto, respetivamente, acima dos crescimentos homólogos de 2,9%, 4,7% e 2,3%, pela mesma ordem, verificados em julho.

Em agosto, os índices relativos ao mercado externo e ao mercado nacional, "passaram de crescimentos, respetivamente, de 2,1% e 8,1% em julho, para 12,2% e 10,8% em agosto".

O INE afirma que "todos os grandes agrupamentos industriais registaram variações homólogas positivas e superiores às observadas em julho", mas que os 'bens intermédios' foram responsáveis pelo "principal contributo para a variação do índice total, 4,3 pontos percentuais, em resultado do aumento de 13,6% (12,4% no mês anterior)".

Já os índices dos agrupamentos de 'bens de investimento' e de 'energia', com variações de 27% e de 10,5% (3% e -0,3% em julho, pela mesma ordem), "deram contributos de, respetivamente, 2,9 pontos percentuais e 2,8 pontos percentuais para a variação do índice agregado".

Em termos de variação mensal, o índice de volume de negócios na indústria registou um recuo de 12,8% em agosto (variação de -17,2% em igual mês de 2016).

Para a variação homóloga de 10,8% do índice de vendas na indústria com destino ao mercado nacional (8,1% no mês anterior) contribuíram todos os grandes agrupamentos industriais, sendo que os índices dos agrupamentos de 'bens intermédios' e de 'energia' registaram aumentos de 18,8% e 6,9% (16,8% e 4% em julho, pela mesma ordem), tendo contribuído, respetivamente, com 4,9 pontos percentuais e 2,6 pontos percentuais para a variação do índice deste mercado.

Os índices de bens de investimento e de bens de consumo passaram de crescimentos de 6,4% e de 4,6%, respetivamente, em julho, para 28,7% e 4,9% em agosto.

Já o índice de vendas na indústria com destino ao mercado externo aumentou 12,2% em agosto, "o que traduz uma aceleração de 10,1 pontos percentuais face ao crescimento observado em julho", com o contributo "mais positivo mais influente" do agrupamento de bens de investimento.

Este agrupamento contribuiu com 4,7 pontos percentuais, originado pelo crescimento de 25,9% (1,1% em julho), "particularmente influenciado pela evolução da divisão Fabricação de veículos automóveis, reboques, semi-reboques e componentes para veículos automóveis, que passou de um aumento de 1,6% em julho para 53,3% em agosto".

Os agrupamentos de energia e de bens intermédios contribuíram conjuntamente com 6,5 pontos percentuais, em resultado de crescimentos homólogos de 34,3% e 7,9%, respetivamente (variações de -19,8% e 7,6% em julho, pela mesma ordem), segundo o INE.