Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas. Madrid e Milão abrem no vermelho. Lisboa regista ganhos ligeiros

A Bolsa de Madrid lidera as quedas na Europa na abertura desta quarta-feira com o índice Ibex 35 a cair quase 1%. O índice MIB de Milão abre a recuar. Em Lisboa, o índice PSI 20 sobe 0,17%. Amesterdão, Londres, Paris e Zurique ainda sem tendência definida

Jorge Nascimento Rodrigues

A Bolsa de Madrid abriu esta quarta-feira no vermelho pela terceira sessão consecutiva, na sequência da crise catalã. O índice Ibex 35 regista uma queda de quase 1% quinze minutos depois da abertura da bolsa. Apenas três cotadas estão no verde. As quedas mais elevadas registam-se no sector bancário espanhol, com o banco catalão Sabadell a perder 2,4%.

O influente analista europeu Wolfgang Munchau avança esta quarta-feira na sua análise matinal no site Eurointelligence que o discurso do rei de Espanha, Filipe VI, abriu a porta ao governo espanhol para avançar com medidas extraordinárias em relação à crise catalã. Depois de uma greve geral e de uma paragem da Catalunha na terça-feira, os analistas políticos apontam para a possibilidade do presidente do governo catalão, Carles Puidgemont, avançar "nos próximos dias" para uma declaração unilateral de independência.

Na outra bolsa peninsular, em Lisboa, o índice PSI 20 abriu em alta, registando uma subida de 0,17%, pelas 8h15 (hora de Portugal), mas a trajetória parece não estar definida e poderá resvalar para o vermelho.

A bolsa de Frankfurt, que esteve ontem encerrada, reabriu com o índice DAX a valorizar, agora, 0,44%. É elevada a expetativa de formação de uma nova coligação na Alemanha chefiada pela chanceler Angela Merkel. Wolfgang Schäuble, o ministro das Finanças que passará a presidente do Parlamento, afirmou que as negociações tripartidas vão bem encaminhadas.

Primeiro dia do 'contágio catalão'?

Milão, por seu lado, acompanha a trajetória vermelha de Madrid.

Algumas importantes bolsas europeias não têm, ainda, trajetória definida para a sessão de hoje. Amesterdão, Londres, Paris e Zurique oscilam, por ora, em torno das linha de água. A questão em aberto é se esta quarta-feira será o primeiro dia de um 'contágio catalão' nas bolsas da zona euro.

Na Ásia Pacífico, continuam encerradas as duas bolsas chinesas (que permanecerão fechadas durante toda a semana) e as praças de Taipé e Seul. Na mais importante praça financeira, Tóquio, o índice Nikkei 225 fechou ligeiramente acima da linha de água. Sydney encerrou no vermelho e Hong Kong negoceia em terreno positivo.