Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Preço das casas em Portugal sobe 7% durante o terceiro trimestre

Em Lisboa os preços médios atingem já os 4.000 euros por metro quadrado, de acordo com o índice de preços do Idealista, uma base de dados que analisa 58.880 anúncios de venda de casas

O preço médio das casas em Portugal registou uma subida de 7% durante o terceiro trimestre de 2017, situando-se em 1.602 euros por metro quadrado, segundo o índice de preços do site de imobiliário Idealista.

De acordo com a nesma fonte, Lisboa continua a ser a capital de distrito onde é mais caro comprar uma habitação, custando 3.946 euros por metro quadrado (m2). Em seguida aparece o Porto (2.094 euros/m2) e Funchal (1.561 euros/m2). Em contrapartida, as capitais com os preços mais económicos são Bragança (638 euros/m2), Guarda (711 euros/m2) e Castelo Branco (724 euros/m2).

Segundo aquela base de dados, todas as regiões do país registaram um aumento de preços em relação ao segundo trimestre de 2017. As regiões que apresentaram uma subida mais significativa foram Lisboa e Norte (8,8% e 6,8% respetivamente), seguidas por Algarve com um aumento de 3,1%. As regiões com as menores subidas foram Alentejo (2%), Centro (1,8%) e Madeira com uma variação trimestral de 1,2%.

Lisboa, com 2.231 euros/m2 continua a ser a região mais cara, seguida pelo Algarve onde custa 1.649 euros/m2 e Madeira (1.288 euros/m2). Do lado oposto da tabela, encontra-se o Centro (956 euros/m2), o Alentejo (1.096 euros/m2) e o Norte (1.155 euros/m2), como as regiões mais baratas.

O índice de preços da habitação eleaborado pelo idealista analisou 58.880 anúncios que estavam na sua base de dados, no dia 27 de setembro de 2017. Os responsáveis pelo índice notam ainda que para assegurar a precisão dos dados, "foram eliminados da amostra, os imóveis com preços desajustados no mercado e os imóveis com a tipologia 'moradias isoladas', visto que a sua presença no estudo compromete o preço em algumas zonas. O índice imobiliário do idealista é elaborado com os preços de venda em relação aos metros quadrados construídos".