Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Cimpor sai de bolsa

Empresa já tinha deixado o PSI20, Agora sai de bolsa e acionistas recebem 34 cêntimos por ação. A readmissão à cotação fica vedada durante um ano

A Cimpor já não está em bolsa esta quarta-feira. A saída concretiza-se depois do regulador do mercado aceitar o pedido de perda de qualidade de sociedade aberta da empresa e significa que a Camargo Corrêa, através da InterCement, paga 34 cêntimos por ação aos acionistas que tinham rejeitado a saída do mercado bolsista.Em 2012, na OPA, pagaram 5,5 euros. E, desde então, a Cimpor deixou o grupo de cotadas no PSI20, agora apenas com 18 empresas.

"O conselho de administração da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), na sequência do requerimento apresentado em 28 de Junho de 2017 pela Cimpor - Cimentos de Portugal, SGPS, S.A. (Cimpor), deliberou, em reunião realizada em 26 de Setembro de 2017, deferir, com efeitos a esta data, o pedido de perda da qualidade de sociedade aberta da Cimpor", indica um comunicado oficial divulgado ontem, já depois do fecho da sessão.

A Assembleia Geral da Cimpor decidiu sair de bolsa em junho, com a aprovação da perda da qualidade de sociedade aberta, numa altura em que a Camargo detinha 95,1% do capital, estando apenas 4,9% disperso por outros investidores.

As ações da cimenteira fecharam na sessão de terça-feira nos 0,36 euros, mais 5% do que o valor oferecido pela Cimpor.

A decisão da CMVM sobre a perda de qualidade de sociedade aberta da Cimpor implica “a imediata exclusão da negociação em mercado regulamentado das ações da sociedade e dos valores mobiliários que dão direito à sua subscrição ou aquisição". A readmissão da empresa à cotação fica vedada durante um ano.