Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Os mais novos também sabem liderar empresas

Sérgio Vieira, 30 anos, lidera uma empresa com mais de 100 colaboradores, presente em quatro países e que lida com mais de 20 mil encomendas por mês

Luis Barra

Histórias de três selecionados com menos idade. Casos de sucesso numa lista que prova 40 vezes que a antiguidade já não é um posto

Como qualquer boa anedota, a história podia começar com “um português e um italiano entram num bar”, mas neste caso começa com uma premissa mais simples: “Um português entra numa gráfica.” E não é anedota, é vida real. Mais: é o início da história de sucesso da 360imprimir, que em 2016 faturou mais de €6 milhões e este ano conta ultrapassar os €13 milhões.

Sérgio Vieira, CEO da primeira gráfica online portuguesa tem 30 anos é a pessoa mais nova na lista dos 40 líderes empresariais do futuro. Precoce é mesmo a palavra que se pode aplicar a Sérgio, que com 11 anos já ajudava no restaurante dos pais em Santa Cruz e com 13 já era o responsável pela gestão do stock de bebidas. “Dizem-me que desde cedo mostrei jeito para estas coisas, o bichinho empreendedor”, conta. Seguiu-se uma carreira académica e profissional, com passagens como professor assistente pelo ISCTE, controller ibérico da Adicional Logistics e técnico no Banco do Portugal. Uma carreira promissora mas que esperava “pelo projeto certo” para se lançar em nome próprio.

Oportunidade que chegou quando menos se esperava em 2011. Foi nesse ano que “um dos cofundadores da empresa foi imprimir a sua tese de mestrado e se apercebeu que existia uma enorme oportunidade de agregação de volume” para baixar custos para o cliente individual. “Um simples cartão de visita custava tanto como um café, €0,50 por unidade”, atira. Conceberam então a 360imprimir como uma “solução que permitisse fazer a ponte entre a capacidade produtiva instalada de elevada qualidade técnica mas apenas capacitada para clientes de grande dimensão e os pequenos clientes, desconhecedores dos tecnicismos da indústria e apenas em busca de soluções económicas, simples e rápidas.” Lançaram a empresa em novembro de 2013 e desde então o crescimento não tem parado. Mensalmente, mais de 100 colaboradores gerem mais de 20 mil encomendas em cerca de 100 linhas de produtos de quatro países — Portugal, Brasil (que hoje é o maior mercado da empresa), Espanha e México — e objetivo é chegar aos €100 milhões de faturação em 2020. Com pacotes de 500 cartões de visita a pouco mais de €0,01 por unidade.

Ambição a que não escapa Miguel Pina Martins, 32 anos, um habitué nestas andanças e que criou todo um mercado de brinquedos científicos a partir de um (então) simples projeto de licenciatura. O fundador e CEO da Science4You olha para a colocação na lista como “uma honra” por estar “junto de líderes e empreendedores cujo trabalho seguimos e admiramos” além de validar o trabalho desenvolvido ao longo deste tempo. “Estamos prestes a celebrar 10 anos de existência e já exportamos para mais de 40 países. A responsabilidade é elevada, o trabalho e o esforço são contínuos, mas ao final do dia compensa”, garante.

A Diogo Sousa Coutinho, 31 anos, toda a gente dizia “está quieto, está quieto” quando falava das suas ideias empreendedoras na área da restauração, onde “ninguém arriscava.” Mais do que trabalhar para conta de outrem, agradava-lhe o “desafio de criar coisas novas.” Foi assim que há nove anos, quando o sushi ainda era uma novidade, abriu o primeiro Noori no Chiado, génese do grupo Temakeria, do qual é fundador, sem contar com as outras 13 empresas que tem sob gestão, e que cresceu sempre “a dois dígitos.” Verdadeiro empreendedor em série tem agora sob a sua alçada projetos que vão desde “a reabilitação de edifícios no Monsanto” à inovação “a nível mundial” no mundo da “mobilidade elétrica e dos supercarregadores.” Ainda acha que a idade é mesmo um posto?

Metodologia, seleção 
e próximos passos


O projeto destina-se a selecionar os 40 líderes empresariais abaixo de 40 anos, pela sua contribuição na economia, percurso de carreira e capacidade de fazer a diferença nos diversos sectores de atividade económica. Numa primeira fase, foram recolhidas candidaturas de gestores e empreendedores com menos de 41 anos até 31 de dezembro do ano da edição em curso, de nacionalidade portuguesa, a trabalhar no país ou no estrangeiro, que exerçam as funções de diretor ou equivalente, ou de fundador com responsabilidade na gestão, no caso de o candidato fazer parte de uma startup. O Modelo de Avaliação Multicritério foi definido pela Deloitte e Roland Berger e as candidaturas foram recolhidos através de uma plataforma online, desenvolvida pela Deloitte, que avaliava os seguintes critérios: leadership; impacto na performance; experiência diversificada; background académico; e responsabilidade social.

Adicionalmente, os candidatos realizaram um teste de Potencial de Liderança, usando ferramentas cognitivas disponibilizadas pela empresa Cut-e. Dos cerca de 100 candidatos inscritos inicialmente, foram pré-selecionados 60 que passaram para a fase de entrevista individual, realizada pela Ray Human Capital — empresa especialista na avaliação de capital humano que conduziu as reuniões de aprofundamento biográfico/comportamental —, tendo como objetivo recolher informação adicional sobre os candidatos, validar a informação disponibilizada no curriculum vitae, avaliar a apresentação e comunicação do candidato num contexto de entrevista, e selecionar os 40 candidatos com melhor avaliação.

Nas próximas semanas, o Expresso e a “Exame” apresentarão o perfil dos 40 candidatos. No final de outubro será conhecido o ranking final, mostrando os 10 primeiros classificados e a ordem final dos 40 líderes.

Textos originalmente publicados no Expresso Economia de 9 de setembro de 2017

  • 40 gestores do futuro

    Conheça a lista dos 40 empresários mais promissores com menos de 40 anos num projeto pioneiro em Portugal que pretende destacar uma nova geração de talento prestes a tomar as rédeas da economia e que pode (e deve) servir de exemplo