Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Sonae Indústria passa de prejuízos a lucros de 14 milhões

Paulo Azevedo, presidente da Sonae Indústria, celebra um ano de parceria com a Arauco com lucros

Rui Duarte Silva

O resultado líquido da Sonae Indústria, incluindo a parceria com a chilena Arauco, somou 14,1 milhões de euros no primeiro semestre. Entre janeiro e junho de 2016, apresentava prejuízos de 27,5 milhões

A Sonae Indústria fechou o primeiro semestre com lucros de 14,1 milhões de euros, o que representa uma melhoria de 41,5 milhões de euros face ao valor apresentado no mesmo período do ano anterior, anunciou hoje a empresa, que em 2016 criou a Sonae Arauco, para operar nos mercados da Europa e da África do Sul no negócio dos painéis de derivados de madeira em parceria com os chilenos da Arauco

“A parceria com a Arauco completou o seu primeiro aniversário. Apresentando resultados líquidos positivos, fomos capazes, em conjunto com os nossos parceiros, de melhorar a competitividade das nossas fábricas e o foco nas necessidades dos clientes e no nível de serviço. Em junho, os acionistas da Sonae Arauco aprovaram a distribuição de um dividendo igual a 50% do resultado líquido de 2016 o que foi pago em julho”, sublinha Paulo Azevedo, presidente da Sonae Indústria, no comunicado hoje enviado à CMVM

Entre janeiro e junho do ano passado, a empresa tinha registado um prejuízo de 27,5 milhões de euros.

Sobre o balanço do semestre, Paulo Azevedo destaca o seu reforço, "devido a uma conjugação de menor dívida líquida e aumento dos capitais próprios", com "o rácio dívida líquida para EBITDA recorrente proporcional também melhorou para 3,4 vezes".

O EBITDA recorrente proporcional do primeiro semestre situou-se nos 48 milhões de euros, com a dívida líquida proporcional a baixar para 308 milhões de euros, menos 31 milhões face a Junho do ano passado.

Tomando em consideração os resultados proporcionais, o volume de negócios da empresa atingiu os 331 milhões de euros nos primeiros seis meses do ano. Considerando apenas as actividades detidas integralmente pela Sonae Indústria, este indicador situou-se nos 121,8 milhões de euros, mais 1% do que no primeiro semestre do ano passado. E "para este aumento contribuiu a apreciação do dólar canadiano face ao euro no período em análise", indica.

No seu comentário ao desempenho do semestre, Paulo Azevedo deixa, ainda uma nota sobre os investimentos em curso."Com o intuito de criar condições para um negócio mais competitivo e sustentável" está previsto continuar a investir nas unidades industriais. "Um exemplo é a nossa recente decisão na Sonae Arauco de investir na fábrica de Mangualde, em Portugal, substituindo uma prensa de MDF com tecnologia ‘multiday light’ por uma nova prensa contínua e respectivos equipamentos auxiliares", conclui.