Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Turismo inglês caiu 16,3% no Algarve em agosto

PAULO VAZ HENRIQUES

Desvalorização da libra é a principal razão apontada para a quebra de britânicos no mês de pico do verão, numa altura em que o turismo está a crescer

Os efeitos do Brexit continuaram a sentir-se em agosto no Algarve com a quebra de 16,3% de turistas ingleses na região comparativamente ao mês homólogo do ano passado, segundo dados da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA). E já no mês de julho os hotéis do Algarve tinham registaram menos 56 mil turistas ingleses que no mesmo mês de 2016.

De acordo com a AHETA, a taxa de ocupação média por quarto no Algarve foi de 93,9% em agosto, "tendo-se situado ao nível do ano anterior".

A associação dos hoteleiros do Algarve destaca que "o mercado britânico registou a principal descida, de 16,3%, o que é uma consequência direta da desvalorização da libra em 15% no último ano".

Mas foram os portugueses que registaram em agosto a maior subida nos hotéis do Algarve, cifrada em 10%. Também os turistas alemães se destacaram com crescimentos de 4,6%, a par dos aumentos de mercados como França, Polónia, Suécia, Bélgica, Dinamarca ou Itália, que ajudaram a compensar a quebra de ingleses.

Por zonas do Algarve, as maiores subidas em agosto ocorreram em Faro e Olhão (mais 4,1%), além de Carvoeiro e Armação de Pêra (mais 2,3%). A maior descida em agosto foi verificou-se no eixo Vilamoura / Quarteira / Quinta do Lago (menos 3,1%). Já Albufeira, a principal zona turística do Algarve, registou uma subida de 1,7%.

O volume de vendas nos hotéis aumentou 3,8% em agosto, segundo a AHETA. No acumulado do ano, a taxa de ocupação por quarto regista uma subida de 2,2% e o volume de negócios da hotelaria um crescimento de 9,1% desde janeiro.