Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Turismo lança apelo para evitar greve do SEF

Inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) continuam firmes na intenção de fazer greve geral a 24 e 25 de agosto, em plena época alta, e com todos os problemas de filas de espera já sentidos no aeroporto de Lisboa. Confederação do Turismo Português lembra "o transtorno que vai trazer às famílias que viajam" e a má imagem que irá dar ao país

A Confederação do Turismo Português (CTP) emitiu hoje um apelo "à responsabilidade" e ao "entendimento de todos os intervenientes" para evitar a greve geral dos inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) convocada para 24 e 25 de agosto, e envolvendo todos os postos de trabalho.

Recorde-se que as filas para controlo de passaportes dos passageiros do espaço não-Schengen, que vêm de voos de longa duração, já são um problema no aeroporto de Lisboa, devido à falta de meios do SEF. E o sector do turismo reagiu logo com apreensão ao ser convocada a greve dos inspetores do SEF a 24 e 25 de agosto, em pleno pico da época alta em Portugal.

"O SEF é essencial ao funcionamento e qualidade de do serviço de acolhimento de passageiros nos nossos aeroportos e à segurança nacional, pelo que esta greve, em plena época alta, numa altura em que o tráfego é muito intenso e em que temos muitas famílias a viajar, vai com certeza causar grandes transtornos na principal porta de entrada dos turistas em Portugal", enfatiza Francisco Calheiros, presidente da CTP.

Crescimento do turismo pode ser afetado, diz a CTP

"O turismo é uma das atividades que mais contribui para o emprego e para a geração de receitas no país, bem como para o equilíbrio da balança comercial", salienta ainda Francisco Calheiros. "Contudo, é uma atividade muito sensível a factores exógenos, pelo que qualquer oscilação nesse equilíbrio pode ter repercussões imprevisíveis ao nível da trajetória de sustentabilidade que tem vindo recentemente a alcançar".

Segundo a Confederação do Turismo, "muito embora o direito à greve esteja constitucionalmente incluído no capítulo dos direitos, liberdades e garantias dos trabalhadores, não é um direito que possa ser tido como absoluto, tendo necessariamente de se conciliar com outros fundamentais, também eles constitucionalmente consagrados".

A greve dos inspetores do SEF foi convocada pelo Sindicato da Carreira da Inspeção e Fiscalização (SCIF), que tem feito sucessivas críticas à ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, acusando-a de retirar ao SEF "valências fundamentais para a segurança nacional, como são as suas competências criminais, num quadro crítico de segurança mundial".