Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Juros da dívida atingem mínimo do ano

Os juros das Obrigações do Tesouro a 10 anos desceram até 2,81% durante a sessão desta terça-feira no mercado secundário, abaixo do anterior mínimo do ano registado em junho

Jorge Nascimento Rodrigues

Os juros da dívida portuguesa a 10 anos atingiram esta terça-feira durante a sessão no mercado secundário um mínimo do ano, ao caírem para 2,81% perto do final da sessão europeia dos mercados financeiros. Fecharam em 2,86%. Durante a sessão de 14 de junho, os juros chegaram a descer para 2,82%.

O mínimo desde o final de janeiro de 2016 está em 2,7% registado a 15 de agosto daquele ano. Depois desse mínimo de 2016, os juros, naquele prazo de referência, subiram para níveis acima de 4% durante o primeiro trimestre de 2017.

Quando do lançamento da nova linha obrigacionista a 10 anos em janeiro de 2017, o Tesouro teve de pagar aos investidores um taxa de 4,227% na operação sindicada. Nos leilões que se seguiram, o Tesouro pagou 3,386% em 10 de maio, 2,851% em 14 de junho, e 3,085% a 12 de julho, o último.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública poderá anunciar um novo leilão duplo a realizar na próxima semana no mercado primário.

Um período de especulação contínua sobre a sorte da dívida portuguesa marcou oito meses, desde as dúvidas alimentadas a partir de meados de agosto do ano passado sobre a decisão que a DBRS poderia anunciar em outubro até ao debate posterior, que se arrastou no primeiro trimestre do ano seguinte, sobre o risco de Portugal ver a sua dívida elegível para compras pelo Banco Central Europeu se esgotar antes do final do programa. No mercado secundário, os juros, a 10 anos, subiram, então, naquele período de oito meses, mais de 1,5 pontos percentuais, para níveis que já não se registavam desde o primeiro trimestre de 2014.

Desde o pico de 4,25% registado a 8 de fevereiro de 2017 no mercado secundário, os juros já desceram, até hoje, quase 1,5 pontos percentuais.