Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Brisa fatura mais 8% nas portagens

Tiago Miranda

As receitas de portagens da Brisa ascenderam a 251,6 milhões de euros no primeiro semestre, à boleia de um crescimento de 6,8% no tráfego nas auto-estradas da empresa

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

As receitas de portagens da Brisa no primeiro semestre somaram 251,6 milhões de euros, mais 8% do que no mesmo período do ano passado, informou a empresa concessionária de auto-estradas.

O crescimento do primeiro semestre foi mais acentuado do que o que a Brisa vinha registando. Desde 2013 o crescimento médio anual nas suas receitas de portagem é de 6,7%.

Em grande medida, este crescimento resultou da subida de 6,8% no tráfego nas auto-estradas que integram as concessões da Brisa. No primeiro trimestre a empresa teve um tráfego médio diário de 16308 veículos, mais 3,3% do que em 2016, e no segundo trimestre, principalmente devido à Páscoa, o tráfego cresceu 9,8% em termos homólogos, para 19770 veículos por dia.

As receitas totais da Brisa de janeiro a junho foram de 257,7 milhões de euros, com um crescimento de 8,2% face ao ano passado. Além das portagens, a empresa faturou 3,4 milhões de euros com as áreas de serviço (com um aumento de 3,3% face a 2016) e 2,7 milhões noutros proveitos (subida de 40%).

Por outro lado, os custos operacionais da Brisa cresceram no primeiro semestre 3,7%, para 64,4 milhões de euros.

O EBITDA (resultado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) melhorou 9,8%, para 193,3 milhões de euros, permitindo à Brisa fechar o primeiro semestre com um lucro de 48,7 milhões de euros, mais 82% do que no ano passado.

O bom desempenho no primeiro semestre levou a Brisa a rever em alta a projeção de crescimento das receitas de portagens. A empresa previa para este ano um aumento de pelo menos 3%. Agora acredita que fechará 2017 com uma subida nas receitas de portagens de pelo menos 6%.