Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Habitação, transportes e alimentação concentram 60% das despesas familiares

tiago miranda

A despesa total anual média das famílias em Portugal foi de 20.363 euros em 2015/2016, menos 28 euros do que em 2010/2011, revelam os dados do Inquérito às Despesas das Famílias 2015/2016 feito pelo INE

São os componentes mais importantes – e pesados – nos orçamentos das famílias em Portugal. Em conjunto, habitação, alimentação e transportes concentravam 60,3% da despesa total anual média das famílias residentes em Portugal em 2015/2016, de acordo com os dados definitivos do Inquérito às Despesas das Famílias 2015/2016, realizado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). São mais 3,3 pontos percentuais do que no início da década.

Separando por classes de produtos e serviços, do total das despesas 31,9% destinavam-se a "habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis", 14,3% a despesas em "produtos alimentares e bebidas não alcoólicas" e 14,1% a despesas em "transportes".

A concentração da despesa nestas classes de bens e serviços prolonga o perfil observado ´nas famílias em Portugal desde o início do século, aponta o INE. Contudo, "com perda de importância relativa" das despesas com "produtos alimentares e bebidas não alcoólicas", que representavam 18,7% do total em 2000.

Em sentido inverso, o peso das despesas com "habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis" aumentou de 19,8% em 2000, para 31,9% em 2015/2016.

Este inquérito, realizado pelo INE a cada cinco anos, mostra ainda que em 2015/2016 a despesa total anual média dos agregados familiares foi de 20.363 euros, menos 28 euros do que em 2010/2011. A redução foi de 0,1%.