Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

O que vai acontecer à Herdade da Comporta

Na reta final do negócio, a Herdade da Comporta foi disputada por três candidatos — um fundo inglês, um family office francês e Pedro Almeida, que saiu vencedor

Luís Barra

Golfe, hotel de luxo e um clube de polo serão âncoras de projeto para relançar o destino

Três anos volvidos sobre o colapso do Grupo Espírito Santo, começa a delinear-se o futuro de uma das suas joias da coroa — a Herdade da Comporta. Esta semana, o empresário Pedro Almeida fechou a compra de 59% da Herdade da Comporta — Fundo Especial de Investimento Imobiliário (FEII), deixando para trás mais de uma dezena de candidatos, todos investidores estrangeiros, essencialmente fundos europeus.

A etapa que se segue passa agora pela reativação do campo de golfe, que estava afeto ao projeto Comporta Dunes, à substituição do hotel de luxo da cadeia Aman e à criação de novos focos de interesse que esbatam a sazonalidade da zona, soube o Expresso junto de fontes ligadas ao mercado.

Nesta reta final de negociações, o fundador da Ardma — que fez a sua fortuna na indústria petrolífera mas que tem participações em diversas áreas de atividade, onde se incluem a restauração, as energias renováveis ou a indústria do surf, entre outras — ‘bateu’ dois candidatos de peso: um fundo imobiliário inglês e um family office francês.

Leia mais na edição deste fim de semana