Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

O Tejo ganhou uma nova vista

O SUD Lisboa que abriu em Belém é um espaço gastronómico e de lazer virado para o dia ou para a noite. “É redutor chamá-lo de restaurante”, diz o grupo Sana que é o seu proprietário

dr

Em Lisboa, junto ao rio, os antigos edifícios da discoteca BBC e do restaurante Piazza Di Mare foram reabilitados e deram lugar a espaços de restauração e eventos privados, num conceito turístico diferente da hotelaria lançado pelo grupo Sana

“Um novo futuro começa em Lisboa na zona ribeirinha.” É a descrição sumária que o grupo Sana faz do SUD Lisboa, um espaço de restauração e eventos que acabou de inaugurar em Belém junto ao MAAT, e que representa uma viragem dos seus investimentos turísticos fora do mundo dos hotéis.

A vista aberta sobre o Tejo é um dos trunfos do complexo SUD Lisboa, que se propõe como novo "trendy hot spot" da cidade. Inaugurado na totalidade a 11 de julho, o complexo integra dois espaços interligados por um corredor de vidro, e que resultam da reabilitação dos antigos edifícios onde funcionaram a discoteca BBC e o restaurante Piazza Di Mare.

Todas as noites com música ao vivo e DJ, o restaurante com 240 lugares funciona das 8h às 2h da manhã

Todas as noites com música ao vivo e DJ, o restaurante com 240 lugares funciona das 8h às 2h da manhã

Um dos espaços, o SUD Lisboa Terrazza (a funcionar no antigo Piazza Di Mare) é um “centro gastronómico” diversificado com áreas próprias de refeições “para cada momento do dia”, tem capacidade para 240 pessoas e uma área total de mil metros quadrados. O restaurante com bar e esplanada funciona das 8h às 2h da manhã, com cartas exclusivas de pequenos-almoços, almoços e jantares, além de “chás da tarde”. Todas as noites tem música ao vivo e um DJ residente.

“Este é um espaço de lazer e de experiências em Lisboa que vai viver de dia e de noite. É redutor chamá-lo de restaurante e também não é uma discoteca”, salienta Salomé Gorgiladze, administradora-delegada do grupo Sana e responsável pelo projeto SUD Lisboa, frisando tratar-se de um conceito turístico novo e ainda sem paralelo a nível internacional. “Visitámos muitos espaços deste género por todo o mundo, o conceito mais parecido é talvez o Tatel em Madrid ou o Bagatelle Beach em St Tropez. Mas quisemos ir ainda mais além neste conceito de restauração e lazer, e tentámos reunir em Lisboa o melhor do que havia em cada espaço que vimos a nível internacional.”

A reabilitação dos dois edifícios na zona ribeirinha para o complexo SUD Lisboa envolveu investimentos de €16 milhões

A reabilitação dos dois edifícios na zona ribeirinha para o complexo SUD Lisboa envolveu investimentos de €16 milhões

dr

Além do espaço gastronómico, o SUD Lisboa Terrazza conta também com uma piscina infinita e um bar no 'rooftop', disponível a quem quiser entrar mediante o pagamento de €35, “e com atendimento de cinco estrelas, como toalha e 'amenities'”, conforme salienta a administradora do complexo, referindo que o objetivo é proporcionar “um espaço com serviço de luxo e atendimento personalizado, mas com ambiente descontraído, permitindo experiências diversificadas a qualquer hora do dia, que se estende para a noite, com a música ao vivo e um DJ residente”.

A piscina com vista para o rio no 'rooftop' do SUD Lisboa Terrazza, um espaço que já foi o restaurante Piazza Di Mare

A piscina com vista para o rio no 'rooftop' do SUD Lisboa Terrazza, um espaço que já foi o restaurante Piazza Di Mare

O SUD Lisboa Terrazza está ligado por um corredor de vidro à outra zona do complexo, o SUD Lisboa Hall, que funciona no edifício do antigo BBC. Trata-se de um espaço com uma área total de 1600 metros quadrados divididos por dois pisos, sendo neste caso mais virado para eventos privados, o que inclui desde congressos e reuniões de empresas a casamentos, banquetes ou festas, com capacidade para 1500 pessoas em simultâneo.

O edifício da antiga discoteca BBC deu lugar a um espaço para eventos privados com capacidade para 1500 pessoas

O edifício da antiga discoteca BBC deu lugar a um espaço para eventos privados com capacidade para 1500 pessoas

Nem só de hotéis vive o turismo

Para o grupo Sana, o SUD Lisboa é um “conceito turístico alternativo dentro do escopo de um grupo hoteleiro” e que representa uma operação ainda mais complexa que um hotel.
No SUD Lisboa vão trabalhar 120 pessoas em permanência, tendo a Sana avançado com um investimento pesado neste projeto, ao todo €16 milhões, na perspetiva de representar uma tendência para o futuro, associada ao turismo de lazer e de experiências, mais associado à restauração e aos eventos, sem ter uma vertente hoteleira.

Defendendo que “o turismo está constantemente a evoluir e não vive só de hotéis”, o grupo Sana assume ter abertura para investir em conceitos novos nesta área e ligados a “experiências inovadoras” envolvendo o entretenimento e a restauração.

A arquitetura interior do SUD Lisboa é assinada por António Pinto, que desenhou o Alcântara Café Foto Tiago Miranda

A arquitetura interior do SUD Lisboa é assinada por António Pinto, que desenhou o Alcântara Café Foto Tiago Miranda

Foto Tiago Miranda

Uma das maiores apostas no complexo SUD Lisboa teve como foco o design e a arquitetura de interiores, sendo o projeto integralmente assinado por António Pinto, arquiteto português que vive em Bruxelas (onde é conhecido por Antoine Pinto), reconhecido mundialmente pela recuperação e modificação de espaços.

Foi António Pinto que desenhou há mais de 20 anos o Alcântara Café, e no seu portefólio com mais de cem obras figura a recuperação de uma das maiores galerias de arte contemporânea da Europa, a Valérie Bach na Bélgica, entre outras como o hospital Saint-Elizabeth e Saint-Michel, o hotel Sofitel Le Louise ou o Casino de Ostend.

Salomé Gorgiladze, administradora-delegada do grupo Sana e responsável pelo projeto SUD Lisboa

Salomé Gorgiladze, administradora-delegada do grupo Sana e responsável pelo projeto SUD Lisboa

Foto Tiago Miranda

Segundo Salomé Gorgiladze, a administradora do grupo Sana responsável pelo SUD Lisboa, a operação do complexo turístico junto ao Tejo vai ser independente dos restantes hotéis do grupo, envolvendo um calendário próprio de eventos e promoção própria junto dos operadores turísticos internacionais. A pujança que Lisboa está a ter ao nível de captação de congressos internacionais e grandes eventos como a Web Summit representam, na sua perspetiva, uma oportunidade de ouro para a realização de eventos paralelos a estes congressos num espaço com as características do SUD Lisboa.

“E temos sobretudo esta deslumbrante vista para o rio, o que é desde logo uma garantia de sucesso”, frisa Salomé Gorgiladze. “A minha ambição é conquistar o coração do mundo com este novo espaço em Lisboa, e levar a capital portuguesa ainda mais longe face à notoriedade que já conquistou.”