Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Associação mutualista quer comprar os 26,5% do Montepio que não controla

Objetivo da oferta pública de aquisição lançada esta terça-feira é voltar a controlar a totalidade do capital do banco, o que levará à sua saída da Bolsa de Lisboa

A associação mutualista Montepio Geral quer comprar os 26,5% de unidades de participação do banco que não controla. Com esta operação, lançada ao valor de 1 euro por cada unidade de participação, o banco sairá da Bolsa de Lisboa.

O anúncio preliminar de lançamento da OPA foi publicado esta terça-feira no site da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). A oferta incide sobre as 106.007.206 unidades de participação dispersas no mercado, o que significa que, se todos os detentores das unidades de participação venderem as suas ações, a associação mutualista pagará cerca de 106 milhões de euros.

Na sexta-feira a associação mutualista informou o mercado de que avançou com uma injeção de 250 milhões de euros no Montepio o que, segundo o Jornal de Negócios, resultou de uma imposição do Banco de Portugal. Além disso, foi também comunicada a assinatura de um acordo com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa que poderá resultar numa entrada desta entidade – e de outras da economia social – no capital do banco. Estes anúncios têm como objetivo resolver os problemas que o banco tem enfrentado nos últimos meses.

Esta terça-feira as unidades de participação fecharam a valer 0,497 euros na Bolsa.