Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Eurostat confirma redução da inflação na zona euro para 1,4% em maio

O organismo de estatísticas da União Europeia publicou esta sexta-feira uma nova previsão da inflação na zona euro em maio confirmando a estimativa preliminar de 1,4%, uma desaceleração em relação ao mês anterior quando registou 1,9%

Jorge Nascimento Rodrigues

A inflação em maio na zona euro foi de 1,4%, segundo a estimativa do Eurostat publicada esta sexta-feira, confirmando a previsão preliminar avançada em 31 de maio, apontando para uma desaceleração em relação ao mês anterior.

O comportamento da inflação na área da moeda única europeia tem sido muito irregular este ano. Abriu o ano com uma inflação de 1,8% em janeiro, prossegui a subida em fevereiro registando 2%, para depois cair para 1,5% em março, voltar a subir em abril para 1,9%, e desacelerar, de novo, em maio.

Este comportamento errático tem levado o Banco Central Europeu a manter uma posição de prudência em relação a mexidas no quadro da sua política monetária expansionista, tanto nas taxas diretoras (em mínimos históricos) como nas medidas não convencionais de quantitative easing.

Portugal com inflação acima da média da área do euro

A inflação em Portugal tem estado acima da média da zona euro desde março, tendo atingido um pico de 2,4% em abril, fruto do 'efeito Páscoa' - o feriado móvel. Em maio foi de 1,7%. A trajetória da inflação portuguesa tem tido, também, um padrão irregular.

Portugal faz parte de um grupo de 12 membros do euro com a inflação acima da média da área monetária em que se inserem. Em maio, dois países bálticos registaram as taxas mais elevadas: 3,5% na Estónia e 3,2% na Lituânia. Com taxas acima de 2% na zona euro estão Áustria, Espanha, Estónia, Letónia e Lituânia.

As taxas mais baixas na área do euro registaram-se, em maio, na Irlanda com 0% e na Holanda com 0,7%.