Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas. Ásia e Europa recuperam depois de pior sessão do mês

As bolsas da Ásia Pacífico fecharam 'mistas' esta sexta-feira em terreno positivo, puxadas por Tóquio, mas registando quedas na China. Europa abriu com ganhos, após pior sessão do mês. PSI 20, em Lisboa, segue tendência europeia de alta

Jorge Nascimento Rodrigues

Ásia e Europa estão em recuperação esta sexta-feira depois da pior sessão do mês no dia anterior. Em Lisboa, o PSI 20 segue a tendência europeia, registando um ganho de 0,35%, depois de ontem ter perdido mais de 1%.

Bolsas da Ásia Pacífico fecharam 'mistas', com ganhos em quase todas as praças, puxadas por Tóquio, a principal da 'região'. Apenas as duas bolsas chinesas fecharam no vermelho. Mumbai encerrou 'mista'.

O Banco do Japão (BoJ) decidiu esta sexta-feira manter a sua política monetária expansionista apesar das pressões para iniciar a discussão de um processo de emagrecimento dos seus ativos que já atingiram em maio um valor de 500.800 biliões de ienes, o equivalente a 4 biliões de euros, um nível ligeiramente inferior ao do BCE, mas superior ao da Reserva Federal norte-americana. A inflação na economia nipónica continua muito distante da meta de 2%. Em abril registou 0,4%.

Esta semana, o BoJ foi o último grande banco central a reunir a sua equipa dirigente para decidir sobre política monetária, depois da Reserva Federal (mexeu nos juros, subindo-os, e anunciando um plano de redução dos ativos ainda sem data de início definida), do Banco Popular da China (deixou tudo na mesma) e do Banco de Inglaterra (deixou tudo na mesma, mas a votação foi de 5 a favor e 3 contra, que queriam subida da taxa diretora).

A Europa abriu no verde, depois de uma queda de mais de 1% na quinta-feira, no índice MSCI pan-europeu. A liderarem as subidas desta sexta-feira, pelas 8h30 (hora de Portugal), com meia hora de negociação, os índices SMI de Zurique, Cac 40 de Paris e MIB de Milão. O Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas da zona euro) e o Eurostoxx 600 estão a subir meio ponto percentual. O índice de referência das tecnológicas europeias - para 600 cotadas - ganha 0,3%, depois de ontem ter caído mais de 1%. Moscovo e Londres negoceiam em terreno positivo, depois de ontem o índice moscovita RTSI ter caído 2,15% e o índice londrino FTSE 250 ter perdido 2,11%.

Banco do Japão fala de ‘expansão’, mas não mexe na política

Apesar de ter passado a usar, desde abril, a palavra “expansão” (ainda que qualificada de moderada) para o andamento da economia nipónica, que tem estado a crescer acima de 1% nos últimos três trimestres, o Banco do Japão (BoJ) não alterou hoje a política monetária.

O teto para o volume anual de compras de dívida pública vai manter-se em 80 biliões de ienes (€645 milhões), uma média mensal próxima do nível de aquisições de dívida pública pelo Banco Central Europeu desde abril. Mas, na realidade, o banco está a comprar menos. A taxa diretora de juro continua negativa em -0,1% e o objetivo da política monetária é duplo desde setembro do ano passado: conseguir que a inflação regresse a 2% e impedir que os juros da dívida a 10 anos voltem a terreno negativo, evoluindo num intervalo próximo de 0%. Desde meados de novembro do ano passado, estas taxas saíram de terreno negativo e têm variado entre 0% e 0,08%, mas a inflação permanece muito baixa, inferior a 0,5% nos últimos sete meses, desde que saiu de uma situação de deflação (inflação negativa, queda de preços).