Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Portugal paga menos de 2,9% em leilão a 10 anos

O IGCP colocou esta quarta-feira €1250 milhões em obrigações a 5 e 10 anos pagando taxas de juro muito inferiores às registadas nos leilões anteriores em maio e abaixo inclusive das yields no mercado secundário. A 10 anos pagou 2,851%, o valor mais baixo desde novembro de 2015 naquele prazo de referência

Jorge Nascimento Rodrigues

Portugal colocou esta quarta-feira dívida a 10 anos pagando um juro abaixo de 2,9%, o mais baixo desde novembro de 2015 e inferior a 3,386%, registado no leilão de maio passado. O juro hoje pago está mais de 1 ponto percentual abaixo da taxa registada em janeiro aquando do lançamento desta nova linha a 10 anos.

O Tesouro português colocou esta quarta-feira €1250 milhões, o montante pretendido, em dois leilões de dívida obrigacionista a 5 e 10 anos, tendo pago taxas de colocação muito abaixo das registadas nos anteriores leilões em maio. "Mais um bom leilão, reflexo do contexto muito favorável, nomeadamente a nível internacional. Os resultados das eleições em França, o cenário politico em Itália e a dinâmica de crescimento europeu, que se estende a Portugal, têm criado condições para a tendência de diminuição de spreads dos vários emitentes na zona euro face à Alemanha", referiu-nos Filipe Garcia, presidente da IMF - Informação de Mercados Financeiros.

Entretanto, o Tesouro alemão colocou esta quarta-feira dívida a 10 anos pagando 0,26%, abaixo da taxa de 0,39% paga na emissão anterior em maio.

A 10 anos, 4,2% em janeiro, menos de 2,9% hoje

No prazo a 10 anos, a Agência de Gestão da Tesouraria e da Divida Pública (IGCP) colocou €750 milhões pagando uma taxa de colocação de 2,851%, abaixo inclusive das yields no mercado secundário à hora do leilão (2,88%). A procura foi de 1,9 vezes o montante emitido. Recorde-se que esta linha de Obrigações do Tesouro que vence em 2027 foi lançada em janeiro e, na altura, o Tesouro pagou mais de 4,2% aos investidores numa operação sindicada.

Nesta maturidade, o IGCP havia pago uma taxa de 2,4294% no leilão da linha a 10 anos (de referência, na altura, com vencimento em 2025) em novembro de 2015. Em agosto de 2016, o Tesouro pagou 3,027% no leilão da linha a 10 anos, então com vencimento em 2026. O mínimo histórico num leilão de dívida a 10 anos em euros foi registado em fevereiro de 2015 quando o IGCP pagou 2,04%.

A 5 anos, o IGCP emitiu €500 milhões pagando 1,198%, significativamente abaixo de 1,828% que pagou em maio em operação da mesma linha obrigacionista com vencimento em 2022. A procura foi superior ao triplo do colocado.

Rentabilidade superior a 7% este ano

A dívida obrigacionista portuguesa regista um retorno muito positivo este ano na zona euro. A rentabilidade desde início do ano é de 7,27%, a segunda melhor na União Europeia, depois da registada para a dívida obrigacionista grega que está em 13,92%, segundo a evolução dos índices da Bloomberg para a dívida soberana. O retorno médio da dívida da zona euro, desde início do ano, é de apenas 0,36%. Nos últimos 12 meses, a dívida portuguesa deu um retorno de 6,97% enquanto a média da zona euro foi negativa, de -0,67%.

O Ecofin deverá declarar na próxima sexta-feira a saída de Portugal do procedimento de défice excessivo.