Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas. Europa abre em terreno positivo, pelo segundo dia consecutivo

As bolsas no Velho Continente abriram esta quarta-feira com ganhos, prosseguindo trajetória positiva do dia anterior. PSI 20, em Lisboa, segue tendência de subida europeia. Ásia Pacífico fechou 'mista'. Dia será marcado por anúncio da decisão da Fed em Washington

Jorge Nascimento Rodrigues

O índice Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas da zona euro) abriu esta quarta-feira com ganhos, prosseguindo a trajetória do dia anterior. As bolsas da União Europeia estão no verde, com o índice CAC 40, de Paris, a liderar as subidas dos principais índices europeus. Em Lisboa, o PSI 20, segue a tendência europeia. Pelas 8h30 (hora de Portugal) de hoje, o principal índice lisboeta registava um ganho de quase meio por cento, depois de ontem ter fechado a subir 0,87%.

Apesar de ainda não haver fumo branco nas negociações para a formação de um governo minoritário de Theresa May no Reino Unido apoiado numa maioria parlamentar integrando os Unionistas da Irlanda do Norte, a bolsa de Londres abriu esta quarta-feira com ganhos nos dois principais índices, depois de ontem ter encerrado 'mista'. Segundo a Sky News, as negociações poderão ser concluídas ainda hoje ou amanhã.

No vermelho continua a bolsa de Moscovo. Os dois principais índices estão a registar perdas, depois de ontem terem recuado mais de 1%. O preço do barril de Brent está abaixo de 50 dólares desde 6 de junho. A cotação do gás natural está em queda há três sessões. Desde o final de maio, o preço do Brent já caiu 4,3% e o do gás recuou 3,7%. A economia russa é extremamente sensível às variações de preço destas matéria-primas.

Na Ásia Pacífico, as bolsas fecharam 'mistas' esta quarta-feira. Em Tóquio, o índice Nikkei 225 ficou ligeiramente acima da linha de água (-0,01%), mas o TOPIX, outro índice importante nipónico, caiu 0,11%. As duas bolsas chinesas encerraram no vermelho, com Xangai a liderar as quedas na Ásia, com o índice a recuar 0,74%. Na China, a desaceleração substancial no investimento em infraestruturas e a redução, pela primeira vez desde novembro, do investimento em imobiliário foram encaradas esta quarta-feira pelos analistas como uma indicação de que o crescimento da economia irá desacelerar face à determinação política das autoridades em Pequim em controlarem os problemas graves no sector financeiro ‘sombra’.

Naquela região, fecharam, também, a cair as bolsas de Taipé e Seul. Em terreno positivo, destaca-se a bolsa de Sydney, com o índice ASX 200 a liderar as subidas, com um ganho de 1,06%. É o segundo dia consecutivo a subir; ontem, este índice avançou 1,67%, liderando os ganhos à escala mundial. Estão a negociar em terreno positivo as bolsas de Hong Kong e de Mumbai.

Depois de perdas mundiais de 0,29% na segunda-feira, o índice mundial inverteu a trajetória e fechou na terça-feira com ganhos de 0,47%. A liderar as subidas, os índices MSCI para a zona euro, registando um avanço de 0,48%, e para Nova Iorque, com uma subida similar. O sector das tecnológicas nos dois lados do Atlântico, que esteve sob fogo cerrado durante duas sessões seguidas, fechou ontem com ganhos de 1,15% na Europa (Stoxx Eurotech 600) e de 0,73% em Nova Iorque (Nasdaq).

Esta quarta-feira será marcada pelas decisões do comité de política monetária do banco central norte-americano (Fed), cujas decisões serão transmitidas pelas 19 horas (hora de Portugal), já depois de fechada a sessão na Europa. A probabilidade de uma subida em 25 pontos base (0,25 pontos percentuais) das taxas de juro pela Fed é de 95,8%, segundo o monitor dos futuros daquelas taxas do grupo CME.