Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas estão 'mistas' em Nova Iorque e na Europa em dia de reunião da Fed

Wall Street está a negociar na abertura desta quarta-feira com os dois principais índices a oscilarem na linha de água. Nasdaq também hesita. Na Europa, Amesterdão, Madrid e Milão passaram para o vermelho. Banco central norte-americano comunica decisão de taxas de juro já depois de fecho de sessão europeia

Os índices das bolsas de Nova Iorque hesitam esta quarta-feira. Com meia hora de negociação, os três principais índices oscilam acima e abaixo da linha de água. A situação é 'mista' com o Dow Jones 30 e o Nasdaq das tecnológicas ligeiramente acima e o S&P 500 ligeiramente abaixo de 0%. As bolsas norte-americanas fecharam na terça-feira com ganhos de 0,48%.

Apesar da oscilação, o índice Dow Jones 30 atingiu uma máximo histórico intradiário, subindo para 21.354,56 pontos logo após a abertura da sessão.

Mas a tendência em Nova Iorque ainda não está definida no dia em que o banco central norte-americano, a Reserva Federal (Fed), comunicará a sua decisão de política monetária ao inicio da tarde em Washington (19 horas em Portugal), já depois do fecho da sessão europeia. O anúncio de uma subida das taxas de juro recolhe 95,8% de probabilidades no monitor do grupo CME sobre futuros daquelas taxas.

No entanto, a prudência deverá imperar na comunicação da Fed e, em particular na conferência de imprensa que a sua presidente fará meia hora depois do anúncio, pois, soube-se hoje, a taxa de inflação nos Estados Unidos desceu em maio para 1,9%, o nível mais baixo desde novembro de 2016. Esta taxa tem estado a desacelerar em 2017, tendo descido de 2,5% em janeiro para 2,2% em abril e, agora, 1,9%, empurrando-a para baixo da meta oficial de 2%.

Na Europa, a maré verde abrandou. Pelas 15 horas (hora de Portugal) tinham passado para o vermelho os principais índices das bolsas de Amesterdão, Milão e Madrid, com destaque para esta última, onde o Ibex 35 perde 0,52%, liderando as descidas na zona euro. O índice Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas da zona euro), que, pelas 8h30, registava ganhos de 0,44%, está, agora, a subir ligeiramente 0,08%. O PSI 20 está a avançar 0,46%.

O mercado de futuros das taxas de juro da Fed aponta para uma decisão a anunciar esta quarta-feira de uma subida de 25 pontos base (0,25 pontos percentuais) pelo Comité Federal de Mercados Abertos (FOMC, na sigla em inglês), colocando a taxa diretora no intervalo entre 1% e 1,25%. Os analistas esperam, ainda, que Janet Yellen dê sinais sobre como e quando a Reserva Federal vai iniciar o processo de emagrecimento dos seus ativos. Será a primeira vez desde a reunião da Fed de 8 de outubro de 2008 que a taxa diretora ficará acima de 1%.

A reunião da equipa presidida por Janet Yellen desenrolou-se ontem e hoje num quadro de especulação sobre a nomeação em breve pelo presidente Trump de dois dos três lugares vagos no conselho de governadores e acerca do lançamento de um processo de procura de um substituto para a atual presidente que termina o mandato em janeiro próximo. Uma carta aberta publicada na semana passada, assinada por 22 académicos norte-americanos, propunha à Fed que abrisse um processo de estudo da possibilidade de aumentar a sua meta de inflação (atualmente em 2%).