Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Espanhol Liberbank sobe 41% com medida do regulador

Proibição da aposta na queda das ações do Liberbank durante um mês levou a que o banco valorizasse 41% em Bolsa, esta segunda-feira. Apesar da subida, ainda acumula perdas de 17% em junho.

O espanhol Liberbank valorizou 41% em Bolsa esta segunda-feira ajudado pela decisão do polícia do mercado espanhol de proibir a aposta na queda das ações do banco durante um mês.

As ações do banco espanhol subiram 41% para 0,960 euros depois de terem descido em Bolsa mais de 40% em menos de duas semanas.

A Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV) tomou a medida de urgência perante a forte descida das ações do banco para travar um efeito dominó nos restantes bancos.

Na semana passada, os investidores foram confrontados com o colapso do espanhol Banco Popular que foi alvo de uma medida de resolução que deixou os seus acionistas com perdas totais. O banco foi vendido ao Santander por um euro.

A dúvida instala-se sobre porque o regulador espanhol não atuou de forma semelhante para travar as descidas em Bolsa do Popular. Num comunicado, a CNMV refere que as situações são diferentes. Segundo o regulador, ao contrário do Popular, o Liberbank não tem divulgado informações negativas sobre o banco que justifiquem as descidas em Bolsa.

O índice Stoxx 600 para a banca europeia recuou 1,23%.

Ao fazer vendas curtas, ou short-selling, os investidores lucram com a queda do preço das ações de uma cotada. Os investidores pedem emprestadas ações a outros investidores e vendem-nas imediatamente. Ganham quando conseguem comprar as ações de volta a um valor inferior ao que têm de pagar a quem emprestou as ações inicialmente.