Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Amigo de Costa e líder de Serralves na administração da TAP

Lacerda Machado e Ana Pinho vão para a TAP. Do lado dos privados entra administrador chinês. Assembleia-geral acontece dia 30 e a privatização conclui-se.

José Carlos Carvalho

Dezasseis meses e vinte e cinco dias depois de o Governo e de os acionistas privados da TAP terem assinado o memorando de entendimento da privatização da companhia — no sentido de o Estado recuperar 50% do capital da empresa, por €1,9 milhões, valor a que foram vendidas as ações ao consórcio Atlantic Gateway a 12 de novembro de 2015, ainda pelas mãos do anterior Governo — a operação vai ficar concluída. De vez. Tudo acabará a 30 de junho, data agendada para a Assembleia-Geral (AG) Extraordinária, pelas 16 horas, na Meo Arena.

Na ordem de trabalhos da AG está a “deliberação sobre a eleição dos membros do conselho de administração da sociedade para o período remanescente do mandato em curso 2015-2017”, lê-se na convocatória a que o Expresso teve acesso.

E três dos seis elementos que o Estado poderá indicar já são certos. Miguel Frasquilho, ex-presidente da AICEP-Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal e ex governante do PSD, vai ser o chairman da TAP.

Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas, confirmou ao Expresso a escolha e avançou a decisão do advogado Diogo Lacerda Machado, amigo de António Costa, e Ana Pinho, presidente do conselho de administração da Fundação de Serralves e administradora da Oporto British School, assumirem os cargos de vogais no conselho de administração da TAP. Estas nomeações recaem a meio do atual mandato, que termina no final deste ano.

Leia mais sobre este assunto na edição semanal do Expresso