Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Maioria das bolsas europeias fechou no vermelho

A volatilidade subiu na Europa esta quarta-feira. Reviravolta à tarde. Com exceção de Amesterdão, todas as principais bolsas europeias fecharam com perdas. PSI 20 encerra com queda de 0,56%

Jorge Nascimento Rodrigues

A abertura e o desenrolar da sessão da manhã desta quarta-feira apontavam para um fecho em alta das bolsas europeias, em particular da zona euro, interrompendo a queda das duas últimas sessões. Mas ocorreu uma reviravolta à tarde.

Com exceção de Amesterdão, as principais praças europeias fecharam no vermelho. A volatilidade associada ao índice Eurostoxx 50 aumentou 1,5% esta quarta-feira com o índice de pânico financeiro a subir para 14,6.

Se ao final da manhã apenas o índice Ibex 35, de Madrid, estava francamente em terreno negativo, no fecho desta quarta-feira, o FTSE 100 de Londres encerrou com perdas de 0,62% e o Dax de Frankfurt recuou 0,16%. Sete periféricos do euro encerraram no vermelho, com destaque para as bolsas de Chipre (queda de 1,1%), Eslovénia (recuo de 0,66%) e Portugal (PSI 20 caiu 0,56%).

Nas principais economias periféricas do euro, o índice MIB de Milão fechou a perder 0,10% e o índice Ibex 35 de Madrid acabou por encerrar próximo da linha de água (descida diária de 0,07%), depois de ter aberto a sessão a cair perto de 1% e de ter assistido a altos e baixos ao longo do dia. A sessão ficou marcada pela liquidação do Banco Popular e a sua aquisição pelo Santander por um valor simbólico de 1 euro.

O índice Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas da zona euro) recuou 0,16% e o Eurostoxx 600 (600 cotadas de 17 países europeus) ficou ligeiramente abaixo da linha de água.