Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Ocupação hoteleira em maio atinge recorde de 17 anos no Algarve

No mês passado, a taxa de ocupação hoteleira no Algarve aumentou 4,4% face a 2016. Os turistas do Reino Unido, Irlanda e França foram os que mais contribuíram para o resultado

O Algarve registou em maio uma taxa de ocupação hoteleira de 73%, um aumento de 4,4% comparativamente com o mesmo período de 2016, registo superado apenas no ano 2000, anunciou esta segunda-feira a maior associação hoteleira da região.

"A taxa de ocupação global média/quarto foi de 73%, mais 4,4% do que em maio do ano passado", informou a Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) no resumo da evolução mensal da atividade do sector.

De acordo com os dados provisórios revelados pela AHETA, trata-se do segundo mês consecutivo em que se regista o valor mais elevado em comparação com o mesmo período do ano 2000, altura em que se registou uma ocupação de 74,9%.

Em abril passado, a taxa de ocupação hoteleira no Algarve foi de 65,4%, tendo o mesmo período apenas sido superado em 2000 (66,1%).

O volume de vendas no mês de maio acompanhou o crescimento da taxa de ocupação, registando-se um aumento de 14%, relativamente ao mesmo período do ano anterior.

Segundo a maior associação do sector, os mercados britânico (mais 12,9%), irlandês (+15,5%) e o francês (+7,2%), foram os que mais contribuíram para a subida verificada.

Por zonas geográficas, as maiores subidas ocorreram em Tavira (+15,1%), Monte Gordo/Vila Real de Santo António (+5,5%) e Vilamoura/Quarteira/Quinta do Lago (+5,2%).

No concelho de Albufeira, a principal zona turística do Algarve, verificou-se uma subida de 3,1%.

Em termos acumulados, desde o início do ano, a taxa de ocupação de quarto regista uma subida de 5,7%, anunciou a AHETA.