Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Dicas de poupança: como vai a sua energia?

d.r.

Se recebe a sua fatura de eletricidade por e-mail pode ir já conferir, sem ter de perder tempo a ir procurá-las ao dossier onde guarda as faturas. Guarde-as todas. Um dia vão fazer-lhe falta, seja para reclamar, seja para fazer algumas contas simples, como agora

Texto Pedro Andersson

Em primeiro lugar, veja qual é a potência contratada que tem. O normal é 3.45 kVA. Mas se o quadro vai muitas vezes abaixo é porque liga muitos aparelhos ao mesmo tempo e o quadro não suporta. Provavelmente ligou para a EDP e pediu para aumentar a potência. Talvez seja, ou não, exagerada para o que precisa realmente. Se tem dúvidas e não percebe nada disto, peça para baixar um escalão e se o quadro voltar a ir abaixo volte a pedir para aumentarem para a potência contratada que tinha. Se não for abaixo pode pedir para baixar mais um escalão e assim sucessivamente. É grátis. Só tem de estar em casa no dia combinado para o técnico da EDP quebrar o selo e baixar/aumentar a potência.

Só com esta dica vai provavelmente poupar mais do que com as campanhas de descontos que estão a decorrer nos vários fornecedores de eletricidade.

Segunda sugestão: veja se lhe compensa mudar para o bi-horário ou, pelo contrário, voltar à tarifa simples.

Há milhares de consumidores que pensam que estão a poupar com o bi-horário - e está a acontecer rigorosamente o oposto. Estão a deitar dinheiro à rua. Há imensos textos na internet sobre como deve fazer as contas e links para os simuladores deste ou daquele. Mas nenhum desses simuladores me convenceu, ou porque são difíceis de utilizar ou porque se baseiam em consumos de famílias “médias”. E nenhum de nós é uma família média.

Daí que partilhe consigo o meu método para saber se está na hora de mudar ou não para o bi-horário ou de o deixar de vez.

Em primeiro lugar tem de perceber que, se tem a tarifa bi-horária, está a pagar o dobro durante o dia para ter eletricidade a metade do preço à noite. Se liga. mesmo que esporadicamente, as máquinas ou o forno antes da 10 da noite, muito provavelmente o bi-horário não é para si.

Mas como é que eu faço exatamente as contas?

Pegue na sua fatura da luz e tome nota numa folha de papel dos valores “em vazio” e “fora do vazio” (em algumas faturas tem de somar “cheio” e “ponta”). De preferência de vários meses (o ideal é 12 meses), porque o consumo de eletricidade na primavera/verão é menor do que no outono/inverno. E conte também com as estimativas. Isso mata qualquer conta. Use contagens reais.

Multiplique o valor “em vazio” por 2. Se o valor for igual ou superior ao valor “fora do vazio” compensa-lhe continuar ou aderir ao bi-horário. Se o valor resultante for inferior, das duas uma: ou muda os seus comportamentos de consumo ou deve mudar para a tarifa simples.

E é isto. Fácil. Já agora, não se esqueça também de verificar na sua fatura se estão a fazer bem os descontos que lhe prometeram no mercado liberalizado. Em muitas empresas os descontos acabam passado um ano - e não lhe dizem nada. Tem de pedir para continuar a usufruir dos descontos. E mude todas as suas lâmpadas para LED. Compensa mesmo.