Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

EDP e REN confirmam buscas

Em comunicado, a empresa confirma que os “representantes da EDP” foram constituídos arguidos. Já a REN refere que irá continuar a colaborar com as autoridades

A EDP confirma que a sede da empresa foi alvo de buscas, esta sexta-feira, no âmbito de um investigação relacionada com “os Contratos de Aquisição de Energia (CAE) e a sua substituição pelo regime dos Custos de Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMECs)”. Em comunicado, a EDP refere ainda que a busca tinha como objetivo obter “elementos documentais relacionados com os referidos procedimentos”.

“A Administração da EDP deu instruções específicas e muito claras no sentido de ser facultado aos investigadores o acesso irrestrito a toda a informação e foi prestada toda a colaboração com vista ao esclarecimento dos factos”, lê-se no comunicado.

A empresa confirma ainda que “foram constituídos como arguidos os representantes da EDP” que assinaram os contratos respeitantes a esta temática, ou seja, António Mexia e João Manso Neto.

“A EDP continuará à disposição das autoridades para prestar os esclarecimentos tidos por convenientes”, asseguram.

Também a REN confirmou que a Polícia Judiciária (PJ) esteve na sede da Rede Eléctrica Nacional S.A. “O inquérito que subjaz às buscas abrange o período entre 2004 e 2014 e estará relacionado com a introdução no sistema Português dos designados Custos para a Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC)”.

Ao contrário da EDP, a REN não faz qualquer menção a João Conceição (administrador da empresa e antigo consultor do ex-ministro Manuel Pinho) e Pedro Furtado (responsável da REN ligado à área de planeamento e controlo operacional), que, segundo informou a Procuradoria-Geral da República, também foram constituídos arguidos.

“A REN não foi constituída arguida. A REN colaborou ativamente com as autoridades e manterá, como é seu dever, tal atitude de plena cooperação”, l~e-se ainda no comunicado.