Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Fujitsu contrata 225 pessoas até final de 2018

A conferência Fujitsu World Tour está a decorrer esta quinta-feira no Centro de Congressos de Lisboa. É a sétima paragem de um evento que passa por 22 país. É a primeira vez em Portugal

José Caria

Empresa japonesa já tem mais de 1400 trabalhadores em Portugal e quer ultrapassar os 1600 no próximo ano

Ana Baptista

Ana Baptista

Jornalista

A Fujitsu vai contratar 225 pessoas em Portugal até ao final de 2018, anunciou a empresa durante a conferência Fujitsu World Tour que está a decorrer esta quinta-feira no Centro de Congressos de Lisboa, e à qual o Expresso associa-se.

Segundo explicou o diretor-geral da empresa em Portugal, Carlos Barros, os empregos em causa serão criados no centro de competências que têm no país e que é responsável por dar assistência às empresas que são clientes da Fujitsu não só localmente, mas principalmente no estrangeiro.

"O centro de competências não faz atendimento ao público, presta sim serviços às empresas que são clientes da Fujitsu e tudo é feito a partir de Portugal para mais de 100 países", explicou Carlos Barros.

É por isso que, adiantou ainda o mesmo responsável, para estes 225 novos postos de trabalho, a Fujitsu está, principalmente, à procura de pessoas com "talento linguístico", ou seja, que saibam falar línguas, mas não só o típico inglês ou francês. "Prestamos assistência em 23 línguas diferentes", disse Carlos Barros.

Este é o requisito principal que a empresa está à procura. Os candidatos não precisam, por isso, de ser especialistas em tecnologia ou engenharia - que é o que já acontece com os atuais trabalhadores - porque vão depois ter uma formação na área.

Carlos Barros justifica esta necessidade de aumentar a força de trabalho da Fujitsu em Portugal com o crescimento da importância deste centro dentro da empresa e das qualidades que os portugueses têm na prestação destes serviços.

Além disso há cada vez mais necessidade por este tipo de apoio porque as empresas estão a digitalizar-se e a precisar cada vez mais de tecnologia. Este é, aliás, o foco da conferência desta quinta-feira. A transformação digital da economia e das empresas e a cocriação digital como forma de encarar essas alterações são os temas principais desta tour que a empresa japonesa vai levar a 22 países. Portugal é a sétima paragem, mas é a primeira vez que recebe este evento.