Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Águas de Portugal lucrou €70,8 milhões em 2016

João Nuno Mendes, presidente das Águas de Portugal

Tiago Miranda

Resultado líquido do grupo estatal foi menos de metade do registado em 2015, ano que tinha sido influenciado pelo ganho com a venda do negócio de gestão de resíduos

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

O grupo Águas de Portugal lucrou 70,8 milhões de euros no ano passado, revela o relatório e contas anual da empresa, aprovado esta segunda-feira na assembleia geral da companhia estatal.

O resultado obtido em 2016 é menos de metade do lucro de 166 milhões obtido em 2015. O grupo justifica a queda do lucro com o facto de o ano anterior ter sido marcado por um elevado valor de ganhos extraordinários, principalmente devido à venda do negócio de gestão de resíduos (EGF). Por outro lado, 2016 ficou marcado pela constituição de provisões para os riscos da atividade do grupo.

Globalmente o volume de negócios da Águas de Portugal cresceu 5% em 2016, ultrapassando os 600 milhões de euros. A empresa estatal reportou ainda uma diminuição da sua dívida líquida em cerca de 100 milhões de euros, para 2044 milhões.

Além disso, a Águas de Portugal fechou 2016 com um défice tarifário de 36 milhões de euros, menos de metade do que registava no final de 2015. A dívida dos clientes, por seu turno, baixou 13%.

O presidente do grupo Águas de Portugal, João Nuno Mendes, sublinha, em comunicado, que “em 2016 foram dados passos decisivos para desenvolver e estabilizar a organização regional e empresarial do grupo AdP e em simultâneo foram alcançados resultados significativos”.

“A redução do endividamento financeiro em 100 milhões de euros e o aumento do cash-flow operacional consolidam a nossa sustentabilidade económica e financeira”, realça o gestor.