Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

3967 projetos já saíram do papel

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, já inaugurou a fábrica dos franceses da Eurocast em Estarreja

Dois anos após a aprovação dos primeiros fundos europeus do Portugal 2020 às empresas, há cada vez mais projetos de investimento a serem concretizados no terreno

Joana Nunes Mateus

O balanço é do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas: até ao final do primeiro trimestre de 2017, foram 3967 os projetos de investimento empresarial que já saíram do papel para serem finalmente concretizados no terreno com o patrocínio dos fundos europeus do Portugal 2020.

Em causa estão projetos que já receberam fundos europeus, não como mero adiantamento inicial, mas a título de reembolso de despesas de investimento efetivamente realizadas pelas empresas. No seu conjunto, estas empresas receberam €538 milhões de fundos europeus por conta dos €966 milhões que já investiram na execução dos seus projetos, seja na construção de novas fábricas ou hotéis, na aquisição de novas máquinas e equipamentos, no desenvolvimento de novos bens e serviços, na prospeção de novos mercados, na aposta nas marcas, no design e na economia digital, só para dar alguns exemplos.

Estes 3967 investimentos que já apresentam execução efetiva representam 42% dos 9398 projetos que vêm sendo aprovados mensalmente desde a primavera de 2015 e 47% dos 8715 projetos entretanto contratualizados no âmbito dos sistemas de incentivos a empresas do Portugal 2020.

O ministro do planeamento e das infraestruturas, Pedro Marques, salientou ao Expresso que esta dinâmica de aceleração do investimento empresarial é uma realidade que já se sente no terreno e nas estatísticas do investimento, sobretudo ao nível das máquinas e equipamentos. O ministro destaca o crescimento homólogo de 86% nos pagamentos de fundos às empresas face ao anterior quadro comunitário. Hoje, 75% destes pagamentos correspondem a investimento efetivamente realizado quando no Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) eram só 41%.

Leia mais na edição deste fim de semana