Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Banco de Portugal lança comparador de comissões

O supervisor lançou esta quarta-feira uma ferramenta no seu site onde se podem comparar as comissões praticadas pelos bancos. Para já só é possível comparar duas comissões mas até ao final do ano o número vai aumentar

O Banco de Portugal anunciou esta quarta-feira que vai estar disponível no Portal do Cliente Bancário, no site do supervisor, uma ferramenta que vai facilitar a vida aos clientes que queiram comparar as comissões praticadas pelos bancos.

Para já o portal arranca apenas com duas comparações, uma relativa à Conta de Serviços Mínimos Bancários e outra à Conta Base, mas até ao final do ano vai ser possível poder comparar outro tipo de comissões como as relativas à manutenção de conta, anuidade dos cartões de crédito e débito e os custos de transferências interbancárias.

Esta ferramenta tem estado a ser desenvolvida pelo Departamento de Supervisão Comportamental, liderado por Lúcia Leitão, e surge na sequência da Diretiva de Conta de Pagamentos que prevê que os países terão um conjunto de comissões com base na conta à ordem que terá de ser disponibilizado. Neste momento aguarda-se ainda a aprovação ao nível europeu das comissões que serão homogeneizadas e que desta forma poderão ser comparadas.

Esta será uma funcionalidade obrigatória em todos os países, mas em Portugal foi o Banco de Portugal a assumir esta tarefa. Em outros países poderão ser outros a fazê-lo desde que os bancos centrais desses países certifiquem a ferramenta que será alimentada pelos bancos.

Como funciona?

No site do Banco de Portugal o cliente deve procurar o Portal do Cliente Bancário e a funcionalidade comparativa de comissões e pode aceder para já a dois tipos de comissões, pesquisando por banco ou por comissão podendo assim saber o preço cobrado pelo seu banco ou por outros bancos concorrentes. Também pode fazer uma pesquisa mais fina se quiser saber o histórico das comissões praticadas no passado, verificando a sua evolução.

Por exemplo através de uma pesquisa relativa às comissões prestadas nas contas de serviços mínimos (obrigatórias em todos os bancos para clientes com parcos recursos e sem crédito), pode ver-se que alguns bancos cobram zero mas outros aplicam comissões embora nestas contas legalmente não possam cobrar mais do que €5,57 em termos anuais. Os bancos "não podem cobrar pela prestação dos serviços mínimos bancários comissões, despesas ou outros encargos que, anualmente e no seu conjunto, representem um valor superior a 1% do salário mínimo nacional, ou seja, 5,57 euros de acordo com o salário mínimo em 2017", refere o Banco de Portugal.