Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Advocacia: Portugal atrai gigantes norte-americanos

Benjamim Mendes, sócio da DLA Piper ABBC, e Juan Picón, global co-chairman da DLA Piper

MARCOS BORGA

DLA Piper reforça-se em Portugal. Nobre Guedes, Mota Soares & Associados integra Andersen Global

Portugal atraiu o interesse de duas gigantes na assessoria jurídica. A DLA Piper reforçou a sua relação com o mercado português através da DLA Piper ABBC. A Nobre Guedes, Mota Soares & Associados integrou a Andersen Global.

Para a DLA Piper, Portugal pode servir de ponte para negócios na América Latina e em África, regiões onde a firma está a apostar para crescer. Por outro lado, vê interesse de mais investimentos em Portugal por parte de investidores estrangeiros, nomeadamente asiáticos. A firma tem já uma sólida presença na Ásia. Em entrevista ao Expresso, Juan Picón, copresidente da DLA Piper, referiu que “existe um foco muito maior no investimento na Europa, e, entre os vários mercados, os que têm mais interesse é Espanha e Portugal”.

Destacou que as zonas geográficas onde a firma tinha maior limitação eram África e América do Sul. “Pusemos muita energia nos últimos 18 meses em expandir a nossa presença nestes mercados”, disse. Assim, abriu escritórios na Colômbia, México, Chile, Peru e Porto Rico. Em África, arrancou com operações na África do Sul e em Casablanca. “E queremos desenvolver a presença em Angola”, referiu. E acrescentou que, “para desenvolvimento da plataforma latino-americana, tem muito mais sentido a abordagem da Península Ibérica”, onde a DLA Piper ABBC ficará com dois escritórios. Um em Madrid e outro em Lisboa, no Chiado, no edifício onde nasceu Fernando Pessoa.

Benjamim Mendes, sócio da DLA Piper ABBC, disse ao Expresso que a firma chegou à conclusão “de que deveria dar o passo seguinte com objetivos definidos, que passam pelo reforço das qualificações em Portugal, porque pode potenciar um serviço global aos clientes”. “Temos clientes que necessitam de apoio na sua internacionalização para América do Sul, Ásia e África.”

Ao mesmo tempo, vê o potencial para mais operações em Portugal, incluindo aquisições. A firma tem forte presença na Ásia. O mercado português tem atraído investimento estrangeiro, com a banca e o sector da energia entre os que têm registado compras por parte de chineses. A DLA Piper perspetiva que a tendência continue e que mais investidores estejam a olhar para ativos em Portugal.

“Esta integração potencia não só um apoio a clientes portugueses que pretendem internacionalizar-se mas também a clientes internacionais que pretendem investir em Portugal. Essa é a vantagem dupla desta associação”, afirmou Mendes.

Frisou que a firma já tem uma presença em Angola há muitos anos. “África é um alvo importante para a DLA, e esta nossa vertente de ligação a África, nomeadamente de países da lusofonia, é naturalmente um aport importante nesta estratégia da DLA”, afirmou. A firma também tem clientes no Brasil.

A integração da DLA Piper ABBC, efetuada no início de março deste ano, é o culminar de uma parceria iniciada em 2010. A ABBC foi fundada em Lisboa, em 1982, e conta com uma equipa de mais de 60 advogados.

Nobre Guedes na Andersen Global

Agora foi a vez de a Nobre Guedes, Mota Soares & Associados integrar a gigante norte-americana Andersen Global, liderada pela Andersen Tax, uma das maiores firmas de serviços do mundo. O objetivo da operação é fortalecer a presença no mercado ibérico. A firma portuguesa espera, com esta operação, um “relevante impacto” na sua faturação já em 2017. A Andersen Global conta com 61 escritórios em todo o mundo e 1800 profissionais. Foi lançada em 2002 sob o nome WTAS por dezenas de ex-sócios da extinta Arthur Andersen. A firma americana já tinha uma presença em Espanha através da Global Abogados, em 2015.