Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Portugal é o terceiro país da Europa com mais trabalho temporário

No ano passado 22,3% dos trabalhadores em Portugal tinham um contrato a prazo. Segundo o Eurostat, só Polónia e Espanha registam um peso maior do trabalho temporário

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

Polónia, Espanha, Portugal e Croácia são os países que lideram, na Europa, o peso dos contratos a prazo no mercado de trabalho, segundo dados divulgados esta terça-feira pelo Eurostat, o organismo oficial de publicação de estatísticas da União Europeia.

Em 2016 Portugal tinha 22,3% dos seus trabalhadores com contratos temporários, uma proporção apenas abaixo da registada em Espanha (26,1%) e na Polónia (27,5%). Logo atrás de Portugal estão a Croácia, com 22,2% de trabalho temporário, e a Holanda, com 20,6%.

Globalmente, na União Europeia havia no ano passado 26,4 milhões de trabalhadores entre os 15 e os 64 anos com contratos a prazo, ou seja, 14,2% de todos os trabalhadores no espaço comunitário. A precariedade é mais alta entre as mulheres (14,7%) do que entre os homens (13,8%).

Os países em que os trabalhadores temporários têm menos peso são a Roménia e a Lituânia (com 1,4% e 2%, respetivamente).

É entre os mais jovens que o trabalho temporário assume expressão mais relevante. Segundo o Eurostat, no ano passado 43,8% dos trabalhadores europeus até aos 24 anos tinham contratos a prazo, com destaque para a Eslovénia (74%), Espanha (72,9%), Polónia (70,7%), Portugal (66,3%) e Croácia (64,6%).

Dos 25 aos 49 anos o peso dos temporários na Europa é de 13,1%, e na faixa dos 50 aos 64 anos o peso é de 6,9%.