Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Privados vão gerir carregadores públicos

Tiago Miranda

Eletricidade abastecida pelos automóveis nos carregamentos públicos vai ser paga no segundo semestre deste ano

Os carregamentos das baterias de carros elétricos vão passar a ser pagos na rede de postos públicos — até ao fim do ano —, que deixam de ser mantidos pela sociedade Mobi.e para serem gradualmente concessionados a operadores privados, que farão a sua manutenção e atualização. No contacto direto com os utilizadores dos postos estarão as empresas de comercialização de eletricidade.

A alteração na forma de gerir a rede de postos públicos de abastecimento de eletricidade para veículos elétricos deve-se ao facto de ter terminado a fase de projeto-piloto da rede pública.

A dimensão do mercado de veículos elétricos em Portugal atingiu o ponto de maturação, prevendo-se que em 2017 sejam ultrapassados os 100 mil carregamentos de baterias na rede de postos públicos — segundo dados da Mobi.e no final de 2016 foram realizados 97.884 carregamentos.

Segundo a Mobi.e, “até ao final do primeiro semestre serão criadas condições para começar a cobrar carregamentos”.

No primeiro semestre de 2018 todos os 1300 pontos de carregamento terão sido concessionados, de forma a que a rede pública seja gerida com o máximo nível de concorrência possível.

Isso pressupõe a substituição dos cartões de carregamento da Mobi.e por cartões dos Comercializadores de Eletricidade para a Mobilidade Elétrica (CEME).

O número de operadores que gerem esta rede vai crescer bastante. Além dos nove operadores já licenciados, há mais dois que têm interesse em entrar neste mercado, elevando o total para 11 operadores.

O consórcio responsável pelo lançamento da infraestrutura de postos de carregamento rápidos públicos, que integrava a Inteli, a Efacec, o CEiiA, a Novabase e a Critical Software, passou a gestão deste processo para o âmbito da Mobi.e que, agora, cederá as suas competências neste projeto aos operadores que se candidatarem à gestão da infraestrutura da rede pública de postos de carregamento portugueses.

No contacto com os clientes finais estarão apenas três empresas comercializadoras que vão estabelecer os contratos para abastecer eletricidade aos veículos elétricos.

Os responsáveis da Mobi.e explicam que todo o processo do início do pagamento dos carregamentos será precedido por uma fase de teste para analisarem os procedimentos dos consumidores. Isso acontecerá no final do primeiro semestre, quando começarão a ser enviadas as faturas de cobrança da eletricidade carregada.

Dos cerca de 1300 pontos de carregamento existentes, 1250 são normais e 50 serão pontos rápidos (embora destes ainda só haja 40). Ainda vão ser instalados mais 200 postos com 400 pontos de carregamento.

No total haverá 1700 pontos de carregamento. Nos 1250 normais vai ser instalado um novo software que permite transferir informação entre o carro, a bateria e a rede elétrica. Atualmente, cerca de 23% da rede não funcionam.

NOVE OPERADORES LICENCIADOS

EDP Comercial
Opera áreas de serviço e tem parcerias com a Repsol A1

EDP Mop
Empresa do grupo EDP que instala e gere pontos de carregamento, desde os que funcionam nos edifícios da EDP aos que estão em operação na via pública

Galp Gest
Tem cinco postos próprios instalados desde 2011 em Oeiras, Cascais, Lisboa (na A5), dois em Aveiras e dois em Pombal em áreas de serviço e mais pontos que ganhou em Palmela, dois em Aljustrel, dois em Loulé e dois em Alcácer, seguindo uma estratégia de operador ligado às áreas de serviços

Prio.e
Já deu indicações de querer ser um dos operadores de referência nos carregamentos de viaturas elétricas, apostando numa estratégia que poderá complementar a sua rede de postos de abastecimento de combustíveis com a rede de postos elétricos

Mobiletric
Gestora de postos de carregamento do grupo 
C Santos, concessionário do sector automóvel, com postos em Braga, Loures, Cascais, Vila Nova de Gaia, Lisboa, Matosinhos, Porto, Torres Vedras, Cascais e Ericeira

KLC — Kilometer Low Cost
Nasceu de um grupo de ex-quadros da Prio e propõe um conjunto de soluções de mobilidade, com operações em Aveiro, Santarém e Mealhada (no sentido sul-norte)

EV Power
Pertence ao grupo da empresa Zeev e segue a mesma lógica das concorrentes KLC e Mobiletric, prestando serviços para o sector da mobilidade elétrica

Elergone
Do Grupo Sonae, comercializa soluções de mobilidade elétrica

Factor Energia
Operador da Madeira, avalia e realiza contratos de eficiência energética. Ajuda a reduzir a fatura energética, os consumos e as emissões de CO2