Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Família Talone reforça na cervejeira Nortada

João Talone reforçou no projeto cervejeiro liderado pelo sobrinho Tiago. A família Talone detém 25% do capital

Alberto Frias

A saída de um acionista fundador levou à recomposição societária da Fábrica de Cervejas Portuense

A saída do maior acionista individual ditou uma recomposição societária na Fábrica de Cervejas Portuense, a empresa instalada na Baixa do Porto que este mês lançou a cerveja Nortada. A recomposição conduziu ao reforço da família Talone e à mudança de presidente do conselho de administração.

António Moutinho Cardoso, fundador com 11% do capital, decidiu abandonar o projeto cervejeiro, liderado pela dupla Tiago Talone e Pedro Mota. A sua participação foi partilhada por outros acionistas, entre os quais três elementos da família Talone: João Talone, ex-presidente da EDP e ex-administrador do BCP reforçou para 8%, João Miguel para 10% e Tiago, presidente da comissão executiva, para 5,8%. A família passou de 17% para perto de 25% da empresa cervejeira.

Novo presidente

António Raab, o gestor luso-brasileiro que dirige a Hilti Portugal e o financeiro suíço Patrick de Saab, baseado no Mónaco, reforçaram igualmente as posições acionistas. Raab detém agora 12,4% e sucedeu a António Cardoso na presidência da empresa. Saab detém 8,3%.

Tiago Talone confirmou ao Expresso que a saída "por motivos pessoais" de um dos fundadores levou ao reforço dos acionistas que exerceram o direito de preferência. Mas, preferiu não revelar as novas posições "por essa matéria ser da esfera privada de cada um".

Na estrutura de 13 acionistas dominam os investidores de base portuense, como António Botelho Moniz (10%), o revisor oficial de contas Carlos Santos (10%) ou a sociedade Nota Urbana (13%) ligada ao agente imobiliário João Nuno Magalhães.

A empresa cervejeira vai investir 3,2 milhões de euros na fábrica, restaurante e bar na Baixa do Porto, contando com um capital social de 1,2 milhões e de um financiamento comunitário do mesmo montante. O plano de Tiago, neto de João Augusto Talone que na presidência da antecessora da Unicer se tornou um símbolo da indústria cervejeira, é evoluir para um operador de relevo, no caso da Nortada superar com êxito o primeiro teste de mercado.