Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Arrendamento em Lisboa e Porto: estudantes são os inquilinos preferidos

Quem tem casa no centro de Lisboa e Porto cruza o alojamento local e o arrendamento a universitários

José Caria

É fácil, é rentável e tem uma procura histórica - o arrendamento a universitários está em alta

Marisa Antunes

Jornalista

Quem tem casa para arrendar no centro de Lisboa e do Porto tem uma fileira de candidatos para escolher mas na hora de decidir, a escolha recai na solução que menos laços cria junto dos senhorios: os arrendamentos com duração inferior a um ano. Para este perfil, os estudantes universitários acabam por ser os mais desejados.

A conclusão vem de um inquérito sobre boas práticas de arrendamento realizado pela Uniplaces, a plataforma online especializada em alojamento de estudantes universitários, que tem como principal objetivo traçar o perfil do senhorio em Portugal. O estudo contou com a participação de 400 inquiridos que praticam diversos tipos de arrendamento, a curto, médio e longo prazo.

“A principal conclusão do inquérito prende-se com a duração preferencial de cada contrato de arrendamento: 88% dos inquiridos afirma preferir que as suas propriedades sejam arrendadas por períodos inferiores a um ano. Apenas 12% dos respondentes afirmaram ter preferência pelo arrendamento por períodos mais longos, normalmente superiores a 12 meses. 35% dos respondentes salienta ainda que o período preferencial se situa entre os 6 meses e um ano”, refere-se no estudo.

Os resultados deste estudo, que inclui tanto utilizadores da Uniplaces como senhorios que utilizam outras plataformas, mostram que os proprietários de imóveis têm preferência pelos estudantes, por se tratar de um tipo arrendamento mais seguro e cómodo, quando comparado por exemplo com o arrendamento à semana a turistas que envolve maiores encargos burocráticos e de logística. “Percebemos também que existe já a perceção no mercado de que arrendar a estudantes é uma opção muito viável, segura, cómoda e em crescimento”, explica André Rodrigues Pereira, responsável da Uniplaces em Portugal.

Quando questionados sobre qual o motivo para a preferência sobre o arrendamento a estudantes, 59% afirma que é “por ficarem por períodos curtos, permitindo utilizar a propriedade de uma forma mais flexível”, aliada à “enorme procura que permite arrendar de forma mais rápida”. 37% dos respondentes salienta ainda que se deve à maior rentabilidade que este tipo de arrendamento tem face a outro tipo de inquilinos, refere ainda o responsável.

Para quem consegue gerir esses “encargos burocráticos e logísticos”, a ‘recompensa’ acaba por ser uma maior rentabilização do imóvel através de uma estratégica combinação entre arrendar a turistas nos três meses de época alta e a estudantes universitários durante o resto do ano. Um objetivo concretizado por 41% dos inquiridos que afirma conseguir conciliar ambos os tipos de arrendamento (alojamento local e a estudantes) para otimizar a taxa de ocupação.

Os resultados do estudo mostram também que mais de metade (60%) dos senhorios, conta apenas com uma propriedade para arrendamento, com apenas 2% dos inquiridos a afirmar ter mais de 15 casas para locação.