Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Imobiliário. Smart Studios investe €12 milhões em Carcavelos

Ricardo Kendall conta com cinco empreendimentos de micro-apartamentos em Lisboa

José Caria

Ricardo Kendall reforça com 330 unidades a sua carteira de microapartamentos para arrendar e quer atingir os mil em 2020

A KKR, a sociedade imobiliária de Ricardo Kendall, vai aplicar 12 milhões de euros na construção de mais 330 estúdios em Carcavelos na sua cruzada para atingir os mil apartamentos e tornar-se líder neste segmento de mercado de arrendamento.

O projeto de Carcavelos da Smart Studios estará concluído em 2018 e beneficia da procura induzida pelo novo polo da Universidade Nova.

É o sexto empreendimento da marca, depois de se estrear em Coimbra e se focar depois em Lisboa com edifícios de microapartamentos (15 m2) em Campolide, Ajuda e Laranjeiras e Alcântara. Em dois anos são 22 milhões de investimento.

Midas gera liquidez

Ricardo Kendal, fundador da rede de oficinas Midas e de cadeias como a Accessorize ou Mr. Blue ficou forrado de liquidez após a venda (2015) aos seus sócios de um universo de 14 empresas. E, no momento de abrir um novo ciclo de investimento optou pelo negócio do imobiliário de rendimento, num segmento específico e ainda embrionário: micropartamentos com 15 m2, incorporando casa de banho e kitchenette.

Uma versão mais ampla das residências universitárias, formatada para pessoas que vivem sozinhas ou em trânsito por uma cidade e vocacionadas para arrendamentos superiores a seis meses. Com Midas, aprendera que a dimensão conta e "ser grande é uma grande vantagem".

Concentrar esforços em Lisboa

A primeira experiência verificou-se em Coimbra, investindo num edifício de 40 estúdios próximo de hospitais e escolas, que já funcionava segundo o modelo que idealizara. A conquista da capital veio a seguir. Primeiro, com um projeto em Campolide, reabilitando um edifício municipal para acolher 29 apartamentos.

A operação de maior fôlego centra-se na Ajuda, recuperando um bairro fabril e três prédios em altura que negociou com o BPI. Após as obras em curso, serão 90 estúdios e um investimento de 3,2 milhões. Uma outra aquisição (dezembro 2016), na zona das Laranjeiras, envolveu um antigo palacete transformado num hostel que não chegou a abrir. Após ligeiras adaptações, evoluiu para 53 estúdios que já estão no mercado.

Seguiu-se um prédio em Alcântara, em início de reabilitação, próximo do novo hospital da CUF que acolherá 13 T1 e 13 T0. O sexto investimento será uma construção de raiz. O lote de Carcavelos acolherá 250 apartamentos T0 e 80 T1.

A Smart Studios conta, em operação, com 110 unidades. Com os projetos em andamentos e um novo negócio em finalização (128 estúdios) chegará aos 650 no fim de 2018.

A meta é cifra mágica dos 1000 estúdios em 2020. A estratégia de Ricardo Kendall para criar volume e consolidar a marca é "concentrar esforços em Lisboa por ser mais rentável e evitar a dispersar geográfica".